Banco Central Europeu atua contra lavagem de dinheiro

Banco Central Europeu criou uma unidade de coordenação para os casos em que o supervisor descobre indícios que possam ser suspeitos

O Banco Central Europeu (BCE) afirmou esta segunda-feira à EFE que “reforçou recentemente a luta contra o branqueamento de capitais através de uma unidade de coordenação para os casos em que o supervisor descobre indícios que possam ser suspeitos”.

O BCE diz que não é a autoridade competente em matéria de branqueamento de capitais, mas sim as autoridades nacionais.

“Contudo, uma vez que o branqueamento de capitais pode afetar o funcionamento e a sustentabilidade dos bancos, o BCE coopera com as autoridades nacionais e europeias”, acrescentou.

Se for descoberto um caso suspeito, este é comunicado às autoridades competentes para investigação.

O Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação (ICIJ) declarou num extenso relatório que documentos divulgados mostram que os bancos JPMorgan, HSBC, Standard Chartered Bank, Deutsche Bank e Bank of New York Mellon continuam a branquear dinheiro.

O BCE salienta que o branqueamento de capitais pode representar “riscos significativos para os próprios bancos e para a sua viabilidade”.

Em julho de 2018, a quinta diretiva contra o branqueamento de capitais entrou em vigor na União Europeia.

As autoridades de supervisão europeias criaram várias iniciativas para reforçar a cooperação entre si e as autoridades nacionais de combate ao branqueamento de capitais.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora