Biógrafo de Steve Bannon reage à notícia de prisão: ‘É como prender Al Capone por evasão fiscal’

Pode ter sido uma surpresa para Bannon, que Green disse sempre ter uma resposta presunçosa quando questionado sobre a possibilidade de entrar em conflito com a lei.

Do Huffpost

Biógrafo de Steve Bannon reage à notícia de prisão: ‘É como prender Al Capone por evasão fiscal’

por David Moye, HuffPost US

A prisão de Steve Bannon na quinta-feira por acusação de conspiração para cometer fraude eletrônica e lavagem de dinheiro pode ter surpreendido algumas pessoas, mas não seu biógrafo.

Joshua Green, autor de “Devil’s Bargain: Steve Bannon, Donald Trump e a Revolta Nacionalista”, disse ao The New Yorker, logo após a prisão, que havia antecipado que algum tipo de acusação aconteceria eventualmente ao ex-estrategista-chefe do presidente Donald Trump.

“Sempre achei que em algum momento eles o pegariam fazendo alguma coisa”, disse Green. Observando que Bannon, 66, foi uma figura central na campanha presidencial de Trump há quatro anos, serviu na Casa Branca por sete meses e estava sob escrutínio nas investigações sobre a interferência russa na eleição de 2016, Green expressou surpresa “que o que finalmente conseguiria ele é essa pequena fraude contra a imigração.”

Bannon e três associados supostamente usaram para despesas pessoais centenas de milhares de dólares doados para uma campanha de crowdfunding que encabeçaram, chamada We Build the Wall, que visava financiar de forma privada uma barreira em uma parte da fronteira EUA-México.

“Acho que a ironia é que é como prender Al Capone por sonegação de impostos, não é?” Green disse. “Mas não é uma grande surpresa para mim que este seja o resultado.”

Pode ter sido uma surpresa para Bannon, que Green disse sempre ter uma resposta presunçosa quando questionado sobre a possibilidade de entrar em conflito com a lei.

“Ele dizia: ‘Sempre sou inteligente o suficiente para não estar na sala’”, disse Green. “Essa era sua forma de dizer que era muito inteligente para ser pego fazendo algo ilegal. E, pelo menos de acordo com a acusação de hoje, isso acabou não sendo verdade.”

Green disse que Bannon tinha uma “visão heroica” de si mesmo e ao mesmo tempo se considerava não apenas o cérebro da operação política de Trump, mas um sucessor para liderar o movimento que se uniu por trás do presidente.

Isso não funcionou porque, nas palavras de Green, o “ego de Bannon o explodiu”, o que o fez ser demitido de seu cargo na Casa Branca em agosto de 2017.

Como resultado, Green disse que Bannon se tornou “outro na longa linha de lacaios obsequiosos que elogiam Trump na Fox News” com pouca influência real, exceto “nesses grupos extremistas nativistas povoados de personagens obscuros como Kris Kobach (um político do Kansas) e Curt Schilling (um ex-arremessador de beisebol profissional).”

Green acrescentou: “E eu acho que quando é com quem você está passando seu tempo, não é um grande choque você acabar indiciado”.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora