EUA: Trump contrata novos advogados para lutar contra o impeachment

O ex-presidente disse que David Schoen e Bruce Castor agora vão liderar sua defesa contra as acusações de 'incitamento à insurreição'.

Jornal GGN – O ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, contratou dois novos advogados para chefiar sua equipe de defesa em seu histórico segundo julgamento de impeachment, marcado para começar na próxima semana.

O anúncio de Trump no domingo segue relatos de que ele se separou abruptamente de vários de seus advogados de impeachment.

Os advogados David Schoen e Bruce Castor chefiarão os esforços de defesa no julgamento que deve começar no Senado dos EUA em 9 de fevereiro, disse o gabinete de Trump em um comunicado. Schoen já estava ajudando Trump e assessores a se preparar para os procedimentos, de acordo com o gabinete do ex-presidente.

Ambos os advogados emitiram declarações através do escritório de Trump dizendo que estavam honrados em aceitar o cargo.

“A força de nossa Constituição está prestes a ser testada como nunca antes em nossa história. É forte e resiliente. Um documento escrito para sempre e que triunfará sobre o partidarismo mais uma vez, e sempre”, disse Castor.

Butch Bowers e Deborah Barberi, dois advogados da Carolina do Sul, não estão mais na equipe de Trump, disseram fontes familiarizadas com a situação a agências de notícias no sábado, descrevendo sua saída como uma “decisão mútua”.

‘Casos complexos’

Castor se concentrou no direito penal ao longo de sua carreira, enquanto Schoen se especializou em “litígios de direitos civis no Alabama e trabalho de defesa criminal federal, incluindo colarinho branco e outros casos complexos, em Nova York”, disse o comunicado.

Trump, que deixou o cargo em 20 de janeiro, enfrenta julgamento sob a acusação de incitar a multidão que invadiu o prédio do Capitólio dos Estados Unidos em um esforço para bloquear sua derrota nas eleições para o presidente Joe Biden. Ele deve apresentar uma resposta às acusações de impeachment na terça-feira.

O julgamento é histórico em duas frentes, marcando a primeira vez que um presidente sofreu impeachment duas vezes e a primeira vez que um ex-presidente dos Estados Unidos enfrentou tal julgamento.

Schoen representou anteriormente o ex-conselheiro de Trump, Roger Stone, que foi condenado em novembro de 2019 por mentir sob juramento aos legisladores que investigavam a interferência russa nas eleições de 2016. Trump perdoou Stone em dezembro de 2020.

Castor é um ex-promotor distrital da Pensilvânia conhecido por sua decisão de não processar o artista Bill Cosby em 2005, depois que uma mulher acusou Cosby de agressão sexual. Em 2017, Castor processou o acusador de Cosby no caso por difamação, alegando que ela destruiu sua carreira política em retaliação. Cosby, 83, agora cumpre uma pena de três a 10 anos depois de ser considerado culpado em um julgamento de 2018 por drogar e estuprar um antigo amigo em sua casa em 2004.

Trump tem lutado para formar uma defesa antes de seu julgamento histórico, enfrentando novos obstáculos com apenas alguns dias pela frente.

Mas com apenas cinco republicanos se juntando a todos os 50 democratas nesta semana para concordar que o julgamento deve prosseguir, parece improvável que 17 republicanos votem contra Trump, o número mínimo necessário para atingir o limite de dois terços para condenação.

Com informações do Al Jazeera.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora