Exército de Israel publica vídeo do ataque contra baterias de defesa antiaérea sírias

Foto: AP Photo/ Hassan Ammar

da Sputnik

Exército de Israel publica vídeo do ataque contra baterias de defesa antiaérea sírias

As Forças de Defesa de Israel (IDF) publicaram um vídeo que mostra o momento de seu ataque de hoje (20) contra baterias de defesa aérea sírias.

O vídeo mostra a eliminação de dois sistemas de defesa aérea, um deles é supostamente um sistema Pantsir de produção russa.

“Durante nosso ataque foram lançados dezenas de mísseis terra-ar sírios, apesar de nossa clara advertência para evitar tal fogo. Em resposta, também alvejamos várias baterias de defesa aérea das Forças Armada da Síria”, informaram as IDF na sua conta no Twitter.

 

 

 

 

Israel afirmou ter atacado alvos militares pertencentes à milícia Al-Quds do Irã no território sírio. “Começamos a atacar alvos da Al-Quds do Irã no território sírio. Advertimos as Forças Armadas sírias para não tentarem causar danos às forças ou o território de Israel”, lê-se no comunicado da IDF.

O Exército sírio conseguiu interceptar a maioria dos mísseis lançados por Israel antes que eles atingissem seus alvos, disse uma fonte militar síria à Sputnik.

Mais tarde, os militares israelenses publicaram uma declaração onde revelaram que o ataque contra os alvos da Al-Quds foi feito em resposta ao lançamento de um míssil pelas forças iranianas do território sírio contra a parte norte das Colinas de Golã.

Segundo as IDF, o exército israelense atacou armazéns, um site de inteligência e um campo de treinamento supostamente pertencentes à Al-Quds. Também foram atacadas várias baterias de defesa antiaérea síria que tinham disparado contra mísseis israelenses.

Em 20 de janeiro, as forças da defesa antiaérea síria já haviam repelido outro ataque aéreo israelense no sul do país. “Nossa defesa antiaérea repeliu um ataque aéreo israelense na região sul. Todos os mísseis foram interceptados, nenhum deles atingiu o alvo”, declarou uma fonte militar síria à televisão estatal da Síria.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora