Gilberto Carvalho é réu, mas a lei é de Fernando Henrique

Foto: Agência Brasil
 
 
Jornal GGN – Réu em Brasília sob a acusação de ter negociado R$ 6 milhões em propina com empresas interessadas na Medida Provisória 471/09 – que nada mais foi do que a prorrogação de uma lei criada por FHC – o ex-ministro Gilberto Carvalho (PT) enviou uma nota à imprensa afirmando que está com a “consciência serena e sem medos” pois não há provas de enriquecimento ilícito nem desvios de conduta na denúncia feita pelo Ministério Público Federal. Ele sugeriu que prova de sua inocência é que tem vivido modestamente.
 
“Recebo esta denúncia no exato momento em que fui obrigado a vender o apartamento em que vivia, que recentemente havia adquirido, por não conseguir pagar o financiamento. Desde então, passo a morar em casa alugada. Portanto, não são acusações desta natureza que vão tirar minha honra e a dignidade de uma consciência serena e sem medos.”
 
Nesta terça (19), dia em que Lula apareceu em mais uma pesquisa liderando a disputa para 2018, o juiz Vallisney Oliveira, da 10ª Vara do Distrito Federal, decidiu aceitar a denúncia contra Carvalho, o ex-presidente e mais cinco pessoas, por suposto pagamento de propina aos petistas em troca da edição da MP 471. Como prova, o MPF usou e-mails trocados entre o gabinete de Carvalho e representantes de montadoras como indicativo de que o esquema ilícito existiu.
 
Segundo Carvalho, as conversas mantidas em torno da MP eram protocolares e obedeciam o código de conduta da Presidência. “Nem o presidente Lula nem eu tivemos qualquer aproximação com este tipo de má conduta com o qual querem nos estigmatizar. Ao longo das gestões frente ao Executivo federal, recebemos pessoas dentro do padrão estabelecido pelas regras da ética e da conduta adequada de servidores públicos.”
 
O ex-ministro ainda disse que “nem nós nem o povo brasileiro pode suportar mais a manipulação grosseira dos fatos e a politização da Justiça transformada em instrumento de perseguição política.”
 
 
Leia abaixo a nota na íntegra.
 
“Mais uma vez recebo com revolta e indignação a notícia da aceitação desta absurda denúncia apresentada contra mim e o Presidente Lula. “Coincidentemente” essa decisão foi dada no mesmo dia em que mais uma pesquisa eleitoral demonstra o inquebrantável apoio do povo ao ex-presidente.
 
É importante grifar que não existe nenhuma base de provas, e sim ilações e interpretações forçadas de fatos. As Medidas Provisórias de que trata a denúncia do Ministério Público Federal (MPF/DF) foram a viabilização de uma política de governo que obteve ótimos resultados ao promover a descentralização da indústria automobilística e dos empregos para as regiões Nordeste e Centro-Oeste.
 
Nem o Presidente Lula nem eu tivemos qualquer aproximação com este tipo de má conduta com o qual querem nos estigmatizar. Ao longo das gestões frente ao Executivo federal, recebemos pessoas dentro do padrão estabelecido pelas regras da ética e da conduta adequada de servidores públicos.
 
Nem nós nem o povo brasileiro pode suportar mais a manipulação grosseira dos fatos e a politização da Justiça transformada em instrumento de perseguição política.
 
Vou lutar até o fim para que em alguma instância cesse esta obsessão persecutória e a Justiça se faça em cima de provas, respeitando o devido processo legal, sem a exposição da honra das pessoas.
 
Recebo esta denúncia no exato momento em que fui obrigado a vender o apartamento em que vivia, que recentemente havia adquirido, por não conseguir pagar o financiamento. Desde então, passo a morar em casa alugada. Portanto, não são acusações desta natureza que vão tirar minha honra e a dignidade de uma consciência serena e sem medos.”

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

11 comentários

  1. Réu por SUPOSTAMENTE zilhões em propina

     Quem parte e reparte e não fica com a maior parte, ou é tolo ou não conhece da arte.

    O Gilberto Carvalho não conhece da arte ou é tolo?

  2. Essa é a vaja a jato,
     
    donos

    Essa é a vaja a jato,

     

    donos de malas com milhões rindo á toa, delatores de delação premiada premiados com o butim, conchavos com canalhas assumidos, convições aos borobotãos e provas à mingua, uma investigação bem ao estilo de uma republica de bananas……..com personagens idem…….

  3. Muito triste

    Um dia desses estava na rodoviária de brasília, e peguei o ônibus para casa (jardins mangueiral) que passa pela frente do congresso e Gilberto Carvalho entrou no ônibus e desceu no parada do congresso.

    Sinceramente, não sei o que está acontecendo com esse país.

    Não recebi nada para dizer isso e nem tenho motivos para mentir.

    Hebert Tavares Mendonça

  4. Esse é o novo normal juridico

    Enquanto Lula, Dirceu, Vaccari, Giberto Carvalho vão sendo expoliados de seus bens (se tivessem conta no exterior, como é praxe no meio, ai ja estariam presos), de sua dignidade de homens publicos e de seus direitos civis, Serra, Alckmin e cia continuam tranquilos, discutindo quem sera o proximo presidente da republica. Não estou comparando Lula e os outros a esses ai, porque não caberia nunca uma comparação entre o governo Lula e as sucessivas pilhagens publica cometidas ha décadas tanto no âmbito federal quanto estadual pela turma do PSDB.

  5. Às vezes o diálogo não resolve

    As perseguições políticas do Ministério Público e de juízes só vão parar quando eles tiverem MEDO das consequências de suas ilegalidades.

    Esta solução é válida contra aqueles que não têm dignidade. O medo paralisa os covardes. 

     

  6. Uma indignidade.
    O silêncio e
    Uma indignidade.
    O silêncio e a omissão dos que podem e têm o dever de corrigir tais abusos – rapidamente -, ensejam na sociedade o desejo de fazer justiça com as próprias mãos. Algo que na democracia e no estado de direito jamamais poderia ser cogitado.
    Tempos tenebrosos.

  7. Agora, o que deviam

    Agora, o que deviam investigar – há tempos – e nunca quiseram fazer foi a “pernada” que o FHC para “enquadrar” a Ford naqueles programas, contrário à lei, para que se instalasse na Bahia, já que o Olívio Dutra, assumindo no RS, não quis compactuar com a roubalheira do Britto, ex-corvo do Tancredo.

    O próprio FHC, em depoimentos prestados ao desMoronado, em Curitiba, já demonstrou cabalmente a inexistência de qualquer ilícito na referida prorrogação, até porque foi aprovada por unanimidade.

    Então, em busca dos holofotes desmoronados, vem esse juizeco de bsb querer sua fatia dos 15 segundos de fama: mau caráter, pra não dizer cretino.

  8. Isso não é denúncia, mas um peido fedorento

    Essas quadrilhas lavajateiras e judiciárias pensam que enganam as classes trabalhadoras e as pessoas atentas, observadoras e bem informadas. Mas ao formularem e aceitarem denúncias estapafúrdias, SEM NENHUM lastro probatório, em ‘timings’ pra lá de previsíveis, contra o Ex-Presidente Lula, contra a Presidenta Dilma, contra líderes do PT (como José Dirceu e José Genoíno) e contra ex-ministros de Estado que serviram aos governos petistas, o que esses servidores do ‘sistema judiciário’ fazem é confirmar a prática do lawfare contra o Ex-Presidente Operário e contra as pessoas que compusram o governo dele.

    Nem o mais emperdenido neoliberal-conservador, que se identifique com o programa privatista-entreguista do PSDB e assemelhados, dá crédito a esse tipo de denúncia. Denúncia dessa natureza, contra um homem probo como Gilberto Carvalho, já nasce desacreditada até pelos adversários políticos do Ex-Presidente Lula, os quais não desejam enfrentá-lo numa disputa presidencial no ano que vem, por terem certeza de que não possuem candidato capaz de derrotar o ex-Presidente operário.

    Enfim: essa trampa judiciária não é uma denúncia e  um processo, mas um peido fedorento daqueles cujo estoque de ‘bombas’ chegou ao fim.

  9. Quem conhece Gilberto de
    Quem conhece Gilberto de Carvalho de perto, consegue aferir melhor o absurdo de mais uma etapa dessa insidiosa perseguição a Lula e a seus companheiros de décadas. Gilberto nos governos do PT era o responsável de intermediar contatos e aproximação do governo com os mais variados segmentos da sociedade, que passava pelos indígenas, quilombolas, movimento dos sem terra, sindicatos e associações profissionais e empresariais. Gilberto fazia o “filtro” à aproximação e à interlocução direta com o governo. “Recebo esta denúncia no exato momento em que fui obrigado a vender o apartamento em que vivia, que recentemente havia adquirido, por não conseguir pagar o financiamento. Desde então, passo a morar em casa alugada. Portanto, não são acusações desta natureza que vão tirar minha honra e a dignidade de uma consciência serena e sem medos”.  – Gilberto Carvalho#JustiçaVergonhaNacional

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome