Assessor de Temer que se demitiu recebeu R$ 1 milhão de lobista a mando de Padilha

Jornal GGN – A coluna do Estadão divulgou nesta quinta (22) que foi o lobista Lúcio Funaro quem entregou parte do dinheiro que Michel Temer (PMDB) pediu ao empresário Marcelo Odebrecht para irrigar o caixa de campanha de seu partido. Segundo o portal, Funaro recebeu ordens de entregar a José Yunes, assessor de Temer que se demitiu após a revelação, cerca de R$ 1 milhão em dinheiro vivo.

Temer, de acordo com a delação do ex-executivo da Odebrecht Claudio Melo, pediu R$ 10 milhões. Uma parte, R$ 6 milhões, foram destinados à campanha de Paulo Skaf ao governo de São Paulo. Os R$ 4 milhões restantes, Padilha teria recebido carta branca para distribuir a aliados.

O Estadão disse que Yunes “esperava receber o dinheiro de um desconhecido, foi surpreendido com o lobista no seu escritório em São Paulo. Os dois não se conheciam pessoalmente, mas Yunes sabia de quem se tratava”. O montante seria destinado, ainda de acordo com a reportagem, ao ex-deputado Eduardo Cunha. Ele e o lobista, preso pela Lava Jato, desde junho, são próximos.

Padilha negou ter pedido qualquer coisa para Funaro.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora