Assista: Barroso diz em Londres que brasileiros são “viciados em Estado”

Para o ministro, um dos problemas da sociedade brasileira é “a permanente dependência e onipresença do Estado”
 

Foto: Cynthia Vanzella/Divulgação Brazil Forum UK
 
Jornal GGN – Durante uma palestra no Brasil Forum UK, em Londres, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luis Roberto Barroso, afirmou que o brasileiro é “viciado” em Estado e que o país sofre de “oficialismo”, “patrimonialismo” e “desigualdade”. Confira, abaixo, o vídeo com a íntegra das declarações.
 
Como um dos problemas listados pelo ministro da Suprema Corte sobre os brasileiros seria, para ele, “a permanente dependência e onipresença do Estado”. “Qualquer projeto no Brasil depende do Estado, de financiamento do BNDES, da Caixa Econômica ou da ajuda do prefeito”, opinou, com tom negativo.
 
E, segundo Barroso, seria isso o que motivaria casos de corrupção: “Criamos uma sociedade viciada no Estado. Temos que expandir a sociedade civil. Essa presença excessiva do Estado gera uma cultura de compadrio e favorecimento que está por trás do loteamento de cargos públicos”, manifestou.
 
Mas ao ser questionado por jornalistas no evento aonde que o Estado deveria deixar de ser presente, Barroso não respondeu. O evento no qual particiou o ministro ocorreu no dia 5 de maio, na capital britânica, e foi organizado por estudantes brasileiros no Reino Unido.
 
Assista*:
 
https://www.youtube.com/watch?v=zXseJKtXOH0 width:700 height:394
 
* Vídeo sugerido por Antonio Francisco
 
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

47 comentários

  1. “O brasileiro é viciado em

    “O brasileiro é viciado em estado.”

    “Agora, com licença, vou conferir meu saldo para ver se as minhas diárias já foram depositadas.”

    • É isso mesmo Jorge.
      Ele um
      É isso mesmo Jorge.

      Ele um viciado em aparições…e, pelo que sai na imprensa, em recursos do Estado.

      Falta de respeito com o povo

  2. republica federativa das perobas

    sim, na concepção dele, pobre não cabe no orçamento, só cabe o alto-clero da administraçãopública com seus salários furo-tetos constitucionais e auxilios moradias para juizes. É muita, muita cara de pau!

  3. Sim, Barroso, quando o povo

    Sim, Barroso, quando o povo depende do Estado para não morrer de fome, o Estado passa a ser muito bom. Saía desses eventos ridículos e vá amassar barro, vai fazer bem pra você, Ministro.

  4. Não precisava ir tão longe
     

    pra mostrar que sabe falar inglês e nem precisa levar pastinha para vender as nossas riquezas e falar mal do povo.

    E sobre a dependência que o brasileiro tem dos favores e privilégios do estado,ele é o maior  exemplo.

     

     

  5. Barroso diz em Londres que brasileiro é viciado em estado

    Vejamos o passado do  personagem em questão:

    Formado na UERJ em 1980 (Universidade Estadual do RJ)

    Livre Docente/Doutor pela UERJ 1990 e 2008

    Professor da UERJ desde 1982 (formou- se na própria em 1980)

    Professor visitante da UNB-Universidade Federal – desde 2009

    Promotor do Estado do Rio de janeiro desde 1985..até ser nomeado

    Ministro do STF em 2013 (Dilma?).  fonte..Wikpedia…

    E p elemento vem dizer que o brasileiro que levanta às 4 5hs da manhã para ralar e ganhar 900 reais é viciado em Estado???

    E mais, sem direito a auxilio moradia…

     

     

     

  6. Nata da malandragem
    Barroso fala o que o Império quer ouvir. É um papel deprimente, semelhante ao de Palocci na Lava Jato.

    Diferente de Sérgio Moro, que é um funcionário terceirizado ou um fornecedor do governo Norte Americano, Barroso, provavelmente, está sob achaque da Lava Jato, o que vale dizer, do governo estadunidense.

    Há tempos, quando o protagonismo de Barroso não era tão acentuado, o Antagonista vazou informações sobre offshores da esposa dele em algum paraíso fiscal, informação que nenhum jornalista ou força tarefa da justiça brasileira poderia obter sem ajuda dos EUA.

    Suponho que isso seja apenas a ponta do iceberg dele e dos outros ministros acovardados do STF. Talvez por isso, pela certeza da impunidade, é que Moro, um mero juiz de piso, se comporte como tivesse um poder acima da corte suprema.

    O único ministro mais ou menos que ousou afrontar a Lava Jato, o que vale dizer, o governo dos EUA, morreu num acidente aéreo suspeito.

    O governo dos EUA é inimigo do povo brasileiro e como tal deve ser tratado.

  7. Luis Roberto Soberbarroso

    Seria o Ministro um alienígena, ou estaria apenas exercitando sua expertise de falar bobagens? Se o Brasil tá viviado em estado e isso é algo danoso aos país, o que estaria fazendo um representante do Estado brasileiro em Londres? Ou o STF não é uma das instituições que compõem o famigerado e dito cujus? 

  8. É um vigarista este Barroso

    É um vigarista este Barroso

    Brasileiros viciados no tetão do Estado, no poder judiciário e agregados:

    18,000 juízes (tetão do Estado onde o Boi-Sol Barroso mama muito hoje)
    12,000 promotores e procuradores
    400,000 servidores do judiciário
    1,000,000 advogados (área pendurada no Estado onde o Boi-Sol Barroso mamou e mama muito até hoje, segundo seu colega Gilmar Mendes)

    Merece um homenagem num puteiro, junto com outros colegas mamadores:

  9. PERA AÍ…

    SOU BRASILEIRO E NÃO SOU VICIADO EM NADA (a não ser em trabalho em favor do próprio Estado, onde atendo pessoas que precisam de medicamentos de alto custo).   VICIADO É ELE, MINISTRO, QUE ALÉM DO GANHO ALTÍSSIMO QUE TEM, NÃO TEM VERGONHA NA CARA E COBRA CARO POR PALESTRAS PARA FALAR AS BESTEIRAS QUE FALA (ALIÁS, COMO GRANDE PARTE DA CORJA DO JUDICIÁRIO PARCIAL, CARÍSSIMO E INEFICIENTE).    MAS SE ESSSE ESTRUME DE TOGA DIZ QUE NOSSO VICIO, NOSSA DEPENDÊNCIA EM ESTADO DÁ CAUSA À CORRUPÇÃO, ELE DEVERIA MOSTRAR EM QUAL PAÍS DO MUNDO NÃO EXISTE ESTADO, TUDO É PRIVADO, NADA É PÚBLICO, E PROVE QUE NESSE PAÍS NÃO HÁ CORRUPÇÃO.      E DETALHE: QUE ELE PROVE QUE NOS PAÍSES COM ESTADO MENOS ATUANTE, NÃO FOI A AÇÃO DE UM ESTADO FORTE QUE GARANTIU TODAS AS BENESSES DESFRUTADAS PELO INTERESSE PRIVADO.   POR EXEMPLO, FOI ATRAVÉS DAS FORÇAS ARMADAS QUE ESTADOS INVADIRAM OUTROS PAÍSES E ROUBARAM SUAS RIQUEZAS PARA QUE OS CAPITALISTAS DELAS ESTEJAM HOJE USUFRUINDO………..VIDE O QUE JÁ FIZERAM E AINDA FAZEM OS ESTADOS UNIDOS, A PRÓPRIA INGLATERRA E OUTROS, PAÍSES ESSES QUE USARAM DA FORÇA DO ESTADO PARA GARANTIR SEU PODERIO.    E NO CASO DO BRASIL, ONDE GRANDE PARTE DO EMPRESÁRIADO MAMA NAS TETAS DO ESTADO, ISSO SÓ ACONTECE PORQUE CORRUPTOS QUE ATUAM NO LEGISLATIVO E NO JUDICIÁRIO, INCLUSIVE ELE, NÃO COIBEM A LEGISLAÇÃO BENÉFICA AOS INTERESSES DO CAPITAL E NUNCA DO TRABALHO….TUDO COM A CONVIÊNCIA DE VERMES COMO BARROSO.

  10. chocado mas não surpreso

    Realmente estamos, alguns de nós, não é meu caso, viciados em Estado.

    Viciados em auxilio moradia, auxilio paleto,  carro oficial, motorista, vencimentos acima do piso, aposentadorias integral, diarias, etc, etc, etc.

    Ele deveria dar o exemplo, renunciando a tudo isso e trabalhar como advogado.

    !!!Como essa gente é cansativa!!!!

  11. Fácil

    Para quem possui casa em Miami e auxílio moradia maior que o salário completo de mais de 95% da população. Barroso deve tudo ao Estado Brasileiro

    Barroso é tão viciado em Estado que agora reclama de gente pobre que precisa mesmo dele.

    O EStado já foi assaltado pelo judiciário!

  12. Ah, o vício!

    O vício e a virtude.

    Era uma vez um casal de irmãos: o Vicio e a Virtude! Andavam sempre juntos, apesar disso se odiavam.

    Um dia, saíram do tribunal onde a Virtude, vestida em sua toga negra esvoaçante havia convencido a todos dos malefícios de seu irmão Vício. Sob aplausos, Virtude defilava entre os mortais, embevecida com a grandeza de suas palavra e a nobreza de seus gestos.

    Foram aos bosque onde se depararam com o velho mago dos lagos. Este disse: “Irmãos! Concedo-lhes um pedido. Sendo que ao atender a um darei em dobro ao outro aquilo que me for pedido!”

    Mais que depressa a Virtude em sua toga negra esvoaçante pediu: “Mago: perfura um dos meus olhos!”

    E assim, nasceram os coxinhas!

    Magister dixit!

  13. Caro Nassif, esclareça por

    Caro Nassif, esclareça por favor, esse ministro barroso é só estúpido por conta própria ou, conforme comentário do MCN, a estupidez extrema é fruto de chantagem ?

  14. O ordinário se formou em
    O ordinário se formou em universidade pública

    Concursado, desfruta de poder vitalício com ganhos nababescos recheados de benefícios exclusivos

    Imexivel, inalcançável e inimputável labuta num dos três poderes que carrega a maquina mais ineficiente e pesada do estado

    ..uma massa insaciável que, dentre todas, tem 60 dias de férias por ano fora uma tal licença premio

    Realmente, parece que este servidor mede o brasileiro por seus reflexos e vícios

  15. Verdade. O brasileiro gosta

    Verdade. O brasileiro gosta de uma boquinha no estado, como emprego que trabalha só9 meses por ano, salários de 100 mil, auxílios de todos os tipos, ganhar 40, 50 mil por palestras para Tribunais de Contas e viajar às custas do erário pra falar abobrinhas mundo afora.

  16. Figura medíocre.
    Não
    Figura medíocre.
    Não conseguiu subir nem o primeiro degrau da escada que leva a verdadeira sabedoria: Saber ficar calado. Por isso será eternamente um ignorante pomposo.

  17. O Barroso tem toda razão.

    O Barroso tem toda razão. Vide o caso dele, que vive às espensas do EStado. Quem pagou a passagem desse pilantrão para Londres.? O Judiciário é um aglomerado de golpistas de barriga cheia de bufunfa paga pelo erário. Só da bandido no Supremo.

    • adiantou-se ao meu comentário

      como é que pode essa gente fazer discurrso e julgamento contra o Estado, o estado de direito, e quere4: botar banca”? ainda se fosse independente, emancipado, mas vivendo ás custas do dos brasileiros, do dinheiro público!??!  faz lembrar aqueles golpistas que faziam discursos moralistas e acabaram  encurraladosna própria corrupção

    • Verdade, Glória… O

      Verdade, Glória… O interessante nesta história é que todos, sem exceção, viram concurseiros para se tornarem juízes e depois vendem até a alma para serem indicados a “nobres” ministros e usufruem de inumeráveis regalias…Então, mamam direto nas tetas do Estado, e nós trabalhadores,  é quem pagamos as mordomias desta casta… LavaToga neles!!! Abraço.

  18. Patrocinadores do BRAZIL

    Patrocinadores do BRAZIL FORUM UK > Fundação Lemann (Ambev), tres escritorios de advocacia Trench Rossi Watanabe ,

    famoso pelo cliente JBS, Barbosa Musnicch Aragão, adogado preferido do Grupo Opportunity (Daniel Dantas) e Mattos Filho

    (advocacia internacional), todos escritorios que se lambuzam com desnacionalização de firmas brasileiras vendidas a grupos estrangeiros, o que eles mais gostam é vender o Brasil, empresas, terras, predios, Amazonia, Pão de Açicar.

    Especialidade de todos esses forum que tem como foco o Brasil, incluindo Wilson Center de Washington ;

    FALAR MAL DO BRASIL E DOS BRASILEIROS.

    Nove em cada dez palestrantes vão ao exterior criticar seu Pais e mostrar como o Brasil é uma porcaria.

    É impressionante  como pessoas do mundo juridico brasileiro viajam para o Exterior.

  19. Tartufaria

    Este barroso é um mestre na tartufaria e adicto das mordomias; fala de de si, tentando estender a todo um país. meça-se ele com seu metro.

  20. Antes de iniciar seu

    Antes de iniciar seu discurso, ele disse à plateia que ocupa dois cargos públicos? (É vício em Estado isso que o brasileiro sofre?)

  21. É a nova
    É a nova jabuticaba…ministros do supremo que dão pitaco em tudo como se fosse da alçada e responsabilidade deles…. fizessem o seu trabalho pelo menos razoavelmente já seria uma grande ajuda ao país…..
    E quem mais crítica o estado são os que mais se apropriam das verbas públicas em forma de salários, benefícios e mordomias.
    Faz tempo que mandato com termo certo e lei severa que faça esse povo falar menos e trabalhar mais, ou que vão para exercer suas atividades na privada, já que não gostam do setor público.

  22. Se liga, BarrOco, o mundo está mudando, apesar de vocês!

    O assunto merece atenção não pela importância, inexistente, do ministro, mas pelo que essa “tese” representa no contexto da discussão política nacional, e internacional, e pelo papel institucional do STF, que é o que dá ao ministro espaço para palestrar (ele pensou nisso quando recebeu para dar palestra em órgão público?) e significado político ao que ele repete como porta-voz da elite patrimonialista e parasita do Estado. 

    Parece-me que o problema é que usamos a palavra Estado para falar de coisas diferentes, e como não sou especialista em nada para falar tecnicamente do tema, falarei do que entendo no nível “pedestre” (este termo tem sido usado de maneira pejorativa para se referir ao reles; como sou pedestre militante, usarei o termo aqui com o sentido de “comum”, referente à compreensão do cidadão que entende a vida com o “pé no chão”, literalmente) da discussão: suponho que Estado para quem se intitula à esquerda no espectro político se refere à entidade representativa da coletividade e dos interesses que não podem ser submetidos à lógica mercantil ou de setores corporativos. Para quem se coloca à direita, ou à sombra do neoliberalismo “iluminista”, talvez represente exatamente o entrave a que os interesses mercantis e corporativos subjuguem o interesse coletivo, e aí se trata então de delimitar onde, como e por que essa “entidade” deve atuar. 

    No caso do ministro BarrOco e de seus contratantes – em lato sensu -, o Estado serve para (1) custear um sistema público de ensino que sirva à Casa Grande; no momento em que é reivindicado como direito pela Grande Senzala, tem que ser sucateado, privatizado, flexibilizado, relativizado como direito na era da sociedade do conhecimento (desde quando a sociedade mercantilista não foi baseada na exploração do conhecimento?); (2) custear uma estrutura institucional ESTATAL baseada em privilégios e vantagens, da qual o judiciário ao qual ao ministro pertence (ops, na verdade, onde exerce o papel de embaixador concursado da Casa Grande – Mercado, Mídia e Metrópole) é o maior exemplo de custo-benefício invertido, cuja respeitabilidade, infelizmente, é apenas resquício das relações feudais e não resultado de sua relação democrática, justa e honesta com a sociedade ampla – será coincidência que usam o termo “banca” tanto para o mercado financeiro quanto para a advocacia e o julgamento de teses acadêmicas? unidos pelo cordão umbilimercantil da mesa de negociação de valores; (3) financiar o Mercado através de altas taxas de juros da dívida pública e da manutenção de um sistema bancário obsceno (até jornais de negócios da Big House (a Casa Grande sediada na Metrópole) já disseram que os juros no Brasil são agiotários – ágio pago por otários), contratos milionários de infraestrutura que são a jóia da Coroa em qualquer país, mais ainda se estão “em desenvolvimento”, privatizações de setores essenciais como a energia, a educação e a saúde pelos quais o povo paga caro porque o sistema tributário é Robin Wood ( a versão cara de pau do personagem, que Rouba dos pobres para construir os Ricos), e isto não é dito em defesa de causa própria, de auditores fiscais a professores de economia, isto é quase um novo consenso entre quem analisa as condições da desigualdade sócio-econômica e os caminhos para sua superação (embora não tenha lido os novos “economistas da desigualdade”, o que li sobre seus trabalhos e ideias, as pesquisas não conseguem esconder o aumento da concentração de renda e desigualdade em que mudanças no sistema tributário que poupam renda, riqueza, lucro, dividendos, e formas de transmissão da fortuna (herança) e que sobrecarregam tudo que saia do bolso dos anônimos é a causa principal, incontornável (como podem ter coragem de sobretaxar a comida dos pobres, do produtor ao consumidor, e não onerar a propriedade de bens de luxo, como helicópteros? bruta cara de pau travestida de racionalidade econômica); (4) utilizar o monopólio da força e da violência para manter os excluídos (resultado da ação de excluir, expulsar, colocar fora de algo; no dicionário Aulete, ” Que é objeto de exclusão; posto fora ou deixado de fora [ Antôn.: incluído. ]”) 

    de fora não apenas dos benefícios produzidos coletivamente numa sociedade, e também da oportunidade de produzir criativamente e não apenas como “força de trabalho”, mas principalmente, impedidos, a qualquer custo (palavrinha-chave, hein, ministro), de protestar contra as razões de sua exclusão, ou seja, não apenas lhes dificulta os meios de alcancá-los “por mérito”, quanto impede de questionar a forma como esses meios são artificialmente criados e organizados a fim de, num trabalho de Sísifo, tornar seus esforços não só inúteis objetivamente como uma forma adicional de expropriação econômica e social (hoje em dia, no chamado “mercado de trabalho”, até para funções básicas que qualquer alfabetizado pode realizar, é exigido formação superior, e em alguns casos, fluência em inglês, pasmem, para oferecer menos que dois salários mínimos, e esta prática não é inocente nem devida à exigência técnica das atividades nem resulta da lei da oferta e da procura, é uma das estratégias ideológicas que sustenta o mercado privado de escolas de ensino superior e de idiomas, sendo os profissionais/operários destes mesmos mercados sujeitos à exploração máxima, ao trabalho precário, à mascatização disfarçada de empreendedorismo, à ausência de estabilidade profissional ou econômica: o diploma só serve para enriquecer os donos de faculdade pois a qualidade do ensino na maioria delas é de razoável a ruim, as condições de trabalho dos professores, idem, e a empregabilidade dos recém-formados, difícil, porque não há vagas de emprego e a vantagem competitiva do diploma é “anulada” pelo aumento do contingente de formados). 

    Ou seja, o que o ministro BarrOco quis dizer é que o Estado, como garantidor do investimento sem prejuízo dos espertalhões como ele, provedor de privilégios e sonegador de direitos por gente como ele, está sendo perigosamente disputado pela sociedade que passa a reivindicar, muitos por terem conhecido nos governos liderados pelo PT a oportunidade e o espaço para ocupar o Estado democraticamente, o que considera seu direito elementar de, antes de todo o resto, participar da sociedade, como construtor e recebedor do que é coletivamente alcançado. Até o direito básico de trabalhar para garantir a sobrevivência foi privatizado, em breve, haverá restrição aos pobres de procriar e de ter acesso à água, para garantir recursos naturais aos “mais aptos” no esquema de darwinismo social que o ministro advoga. 

    A questão talvez seja aplicar a métrica do Mercado, a quem o ministro serve como embaixador remunerado da Federação das Corporações, como diz Rui Daher – e verificar quem mais contribui ou investe no Estado e oferecer participação nos lucros e resultados a quem mais paga imposto, por exemplo. Será que assim os recebedores de duplos, triplos carpados e com piruetas, auxílios-moradia não sujeitos à incidência de imposto, teriam prejuízo com seu privilégio, desculpe, direito? 

    Por fim, para um constitucionalista, que exerce um cargo para o qual foi sabatinado numa casa legislativa eleita por voto direto e popular, parece estranho que o ministro não tenha defendido então sua visão anti-Estado, antipopular, antinacional e frontalmente contrária ao que a Constituição de 1988, à qual não lhe cabe, como juiz, reformar mas fazer cumprir, prevê. 

    Mais um para a galeria do “esqueçam o que eu escrevi/falei/publiquei/palestrei”? Ver https://jornalggn.com.br/blog/quem-e-e-o-que-pensa-o-constitucionalista-luis-roberto-barroso

     

    Excertos da Constituição da República Federativa do Brasil, de 1988: 

    ” PREÂMBULO

            Nós, representantes do povo brasileiro, reunidos em Assembléia Nacional Constituinte para instituir um Estado Democrático, destinado a assegurar o exercício dos direitos sociais e individuais, a liberdade, a segurança, o bem-estar, o desenvolvimento, a igualdade e a justiça como valores supremos de uma sociedade fraterna, pluralista e sem preconceitos, fundada na harmonia social e comprometida, na ordem interna e internacional, com a solução pacífica das controvérsias, promulgamos, sob a proteção de Deus, a seguinte CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL.

    TÍTULO I
    DOS PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS

    Art. 1º A República Federativa do Brasil, formada pela união indissolúvel dos Estados e Municípios e do Distrito Federal, constitui-se em Estado Democrático de Direito e tem como fundamentos:

    I – a soberania;

    II – a cidadania;

    III – a dignidade da pessoa humana;

    IV – os valores sociais do trabalho e da livre iniciativa;

    V – o pluralismo político.

    Parágrafo único. Todo o poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta Constituição.

    Art. 2º São Poderes da União, independentes e harmônicos entre si, o Legislativo, o Executivo e o Judiciário.

    Art. 3º Constituem objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil:

    I – construir uma sociedade livre, justa e solidária;

    II – garantir o desenvolvimento nacional;

    III – erradicar a pobreza e a marginalização e reduzir as desigualdades sociais e regionais;

    IV – promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação.

    Art. 4º A República Federativa do Brasil rege-se nas suas relações internacionais pelos seguintes princípios:

    I – independência nacional;

    II – prevalência dos direitos humanos;

    III – autodeterminação dos povos;

    V – não-intervenção;

    V – igualdade entre os Estados;

    VI – defesa da paz;

    VII – solução pacífica dos conflitos;

    VIII – repúdio ao terrorismo e ao racismo;

    IX – cooperação entre os povos para o progresso da humanidade;

    X – concessão de asilo político.

    Parágrafo único. A República Federativa do Brasil buscará a integração econômica, política, social e cultural dos povos da América Latina, visando à formação de uma comunidade latino-americana de nações.

    TÍTULO II
    DOS DIREITOS E GARANTIAS FUNDAMENTAIS
    CAPÍTULO I
    DOS DIREITOS E DEVERES INDIVIDUAIS E COLETIVOS

    Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:

    I – homens e mulheres são iguais em direitos e obrigações, nos termos desta Constituição;

    II – ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude de lei;

  23. Barroso é inacreditável

    Barroso se vende como um grande pensador da brasilidade. É um idiota sem fim. Mas fala o que as Seis Famílias da Mídia querem ouvir, então levam ele a sério.

  24. Concordo com ele. Deveríamos

    Concordo com ele. Deveríamos acabar com a Justiça e instalar Tribunais Populares. Sai mais barato, é mais rápido e, se for pra falar m****, não precisa ganhar tanto – pode ser qualquer um!

  25. Barroso fala mal do Estado,

    Barroso fala mal do Estado, mas não pede exoneração do cargo público que ocupa nem renuncia às regalias que estão associadas ao mesmo.

    Na melhor das hipóteses ele ignora o princípio aristotélico da não contradição. Na melhor ele é apenas um hipócrita que fala merda sempre que abre a boca em público.

    Sempre que vejo Barroso atacando o Estado lembro de George W. Bush. O que os jornalistas estão esperando para jogar sapatos nele?

  26. Com essa afirmação, o

    Com essa afirmação, o decepcionante ministro Barrosso mostra o que é: contraditório ou interesseiro. Ele sabe que sem o Estado vira confusão. E sabe também que o cargo que ocupa é público. E se é público, parece que ele também tem o vício.

  27. Barroso fala m…

    Não, não é inacreditável. Barroso vai chegar a conclusão que Pero Vaz de Caminha escreveu sobre um lugar  que não deveria existir. O nível de bobagem que esse senhor diz torna necessário estabelecer um mandato para ministro do STF e uma quarentena de igual período. A necessidade de aparecer acaba tornando-o menor do que já é.

  28. O empoladinho engomadinho,que

    O empoladinho engomadinho,que ganhou cada centavo seu atuando sempre no Estado (ou existe tribunal privado-Curitiba não vale- com certeza,deve estar espelhando-se em si mesmo para fazer essas afirmações.

  29. A Óptica da Casa Grande

    Nassif: e não é que o hôme tem razão!

    Onde já se viu o Estado se preocupar com a saúde? E transporte? E educação? E segurança? A polhalha que se dane. Pão e circo já tá de bom tamanho.

    Tem sim que equipar com armas e salários seus batespaus e seus milicos. Tem que criar serviços de inteligência, para afastar os populares do sonho de um dia governar. Lembra daquele general golpista? Desse geitinho…

    É preciso estar atento àqueles que pretendem ocupar as bocas-de-fumo (e derivados) dos amigos. É preciso vigiar o mar para as petrolíferas ligadas ao Bando de Paris. É preciso entregar os bens materiais da Nação para quem tem possibilidade de gerí-los. Sempre sobra umas migalhas, que será dividida pelos da Casa Grande.

    É preciso defender o Mercado, para bancos e financeiras, sempre vinculadas aos crápulas locais e estrangeiros.

    Povo é que nem capim: — morre uma tosseira, nasce outra. E precisa ser pisoteada pelo gado, para renovar a paisagem. De quando em vez uma Coivara, reavivando o pastoreio.

    Por isto, o discurso tá de bom tamanho…

  30. É como dizia a finada Dona

    É como dizia a finada Dona Francinete: Credo, Bosta!!! Um sujeito desses proferir tantas leviandades….   Por aí se tira a qualidade das sentenças proferidas pelo cabra.

  31. Janotices de um sangue-suga

    Qual é a desse cara? Quanta desonestidade intelectual! Será que ele de fato acredita nas platitudes que bosteja? Ou todo seu esforço é no sentido de se pavonear diante de uma platéia de nescios? Tentei ouvir, mas o estômago embrulhou. Parei quando citou o BNDES como exemplo de excrecência do estado e atribuiu à herança ibérica nosso patrimonialismo. Tão escandinavo ele né? Digno representante do nosso judi$$iário. Definitivamente esse barro fede mais do que o Gilmar mente.

  32. Não assisti o vídeo, pois

    Não assisti o vídeo, pois achei que não valeria a pena pausar a música que estou escutando. Agora, adorei a foto: Barroso discursando num evento “breaking down the constitution”! Imagino que o título se refere a “break down” no sentido de desmembrar, analisar, mas o termo também tem o significado de quebrar, destruir. E é isto o que Barroso está fazendo no Brasil.

  33. O papa ateu

    Um funcionário do Estado dizer que o brasileiro é viciado no… Estado.

    Hipocrisia é pouco.

    A pergunta que não quer calar: por que Barroso largou a iniciativa privada? Ele também sucumbiu ao vício?

    Aliás, funcionário público neoliberal é como ter um papa ateu, uma incoerência absurda.

  34. Brasileiros são viciados em estado. Barroso é brasileiro, logo..

    Brasileiros são viciados em estado.

    Barroso é brasilieiro.

    Logo, Barroso é viciado em estado.

     

    Ora, se esse Pulha é viciado em estado, porque ele puxa saco para o mercado?

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome