Bolsonaro admite que pegou da portaria as gravações do interfone de condomínio no Rio

"Pegamos toda a memória da secretária eletrônica que é guardada há mais de ano", disse o mandatário, admitindo possível interferência na investigação

Foto: Divulgação

Jornal GGN – O presidente Jair Bolsonaro admitiu, neste sábado (02), que pegou a gravação das ligações da portaria do condomínio aonde tem casa, no Condomínio Vivendas da Barra, no Rio de Janeiro, supostamente para impedir que fossem adulteradas.

“Nós pegamos, antes que fosse adulterada, ou tentasse adulterar, pegamos toda a memória da secretária eletrônica que é guardada há mais de ano. A voz não é a minha”, disse o mandatário a jornalistas, admitindo, assim, a interferência na investigação.

As gravações a que se refere Bolsonaro são as que poderiam comprovar a declaração do porteiro do condomínio, que contou à polícia que o ex-policial militar Élcio de Queiroz, um dos suspeitos do crime contra Marielle Franco, esteve no local dizendo que iria à casa que pertence ao mandatário, e que “seu Jair” atendeu o interfone e autorizou a entrada, horas antes do crime.

Queiroz teria se dirigo à casa, no mesmo condomínio, de Ronnie Lessa, outro suspeito do crime. Naquele dia, Bolsonaro estava em Brasília e participou de votações na Câmara, enquanto era deputado federal. Queiroz e Lessa estão presos desde março.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora