Brasil piora no Índice de Percepção da Corrupção

País cai em 17 colocações no ranking que mede percepção da sociedade no combate à corrupção no setor público
 
foto_abr_corrupcao.jpg
(Foto ABr)  
 
Jornal GGN – A sensação de corrupção pública entre os brasileiros piorou entre 2016 e 2017. É o que revela o Índice de Percepção da Corrupção (IPC) divulgado nesta semana mostrando que o país caiu 17 posições no ranking internacional que mede a percepção da sociedade com o combate à corrupção. Em 2016 o país ocupava a 79ª posição, mas em 2017 passou para a 96ª colocação.
 
O IPC pontua também que, em uma escala de 0 a 100, onde zero significa maior nível de corrupção e cem um Estado mais íntegro, o Brasil recuou três pontos passando de 40 para 37. Em entrevista para o Estado de S.Paulo, o porta-voz da Transparência Internacional no Brasil, responsável pelo ranking, Bruno Brandão, avaliou que a piora nos resultados brasileiros foram influenciadas pelas denúncias contra Temer e o vazamento de sua conversa com o dono da JBS Joesley Batista.
 
“Influenciou ainda mais a sensação de impunidade, o fato de ministros com acusações gravíssimas permanecerem no governo, o próprio presidente sendo acusado de corrupção passiva, obstrução de Justiça e organização criminosa e o Congresso Nacional, certamente condescendente, impedindo que fosse adiante o processo e a verificação desses fatos”, explicou ao jornal. O movimento da Câmara dos Deputados barrando duas denúncias da Procuradoria-Geral da República contra o presidente Michel Temer também não ajudaram. 
 
Apesar de a Lava Jato e outras operações da Polícia Federal e da Justiça, a organização avalia que os fatores estruturais da corrupção no Brasil continuam “inabaláveis”. 
 
“Não houve uma resposta à altura para o problema da corrupção, esta palavra não aparece nos discursos oficiais do presidente da República ou em qualquer projeto de lei ou agenda do Congresso. É como se o problema não existisse”, pontuou Brandão.
 
Propostas
 
Vale lembrar que, diferente de Temer, em março de 2015, a então presidente Dilma Rousseff procurou responder aos anseios da sociedade contra a corrupção pública anunciando um pacote anticorrupção entregue ao Congresso Nacional.
 
A proposta buscava punir irregularidades na administração pública a partir de seis pontos incluindo a criminalização da prática de caixa 2,  alienação antecipada de bens apreendidos e responsabilização criminal de agentes públicos que não comprovarem a obtenção de bens.
 
Voltando ao momento atual, junto com o relatório a Transparência Internacional anunciou um conjunto de propostas desenvolvidas junto com a Fundação Getulio Vargas (FGV), chamadas de “Novas Medidas contra a Corrupção”. São 80 pontos entre emendas constitucionais, resoluções administrativas e projetos de lei, incluindo o fim do foro privilegiado, processos educativos e o recuperação de ativos desviados. 
 
A iniciativa copia alguns pontos das 10 medidas propostas pelo Ministério Público Federal (MPF) em 2016, excluindo medidas polêmicas como o teste de integridade e a limitação do uso de habeas corpus. 
 
Ranking 
 
O Índice de Percepção da Corrupção analisa 180 países. De 2016 para 2017, 62 sofreram piora, 33 ficaram estáveis e 81 apresentaram melhora na posição. As nações mais “íntegras” são Nova Zelândia (1ª), Dinamarca (2ª), Finlândia (3ª), Noruega (4ª) e Suíça (5ª). Já as piores no ranking são Somália, Sudão do Sul, Síria, Afeganistão e Iêmen.
 
O Brasil, um dos 62 paíse que pioraram de um ano para outro, está empatado com Colômbia, Indonésia, Panamá, Peru, Tailândia e Zâmbia. Ainda, segundo a entidade, da eclosão da Lava Jato, em 2013, o Brasil estava em 72º lugar no ranking, com 42 pontos, ou seja, 24 posições acima do último ano. 
 
Análise: deu ruim
 
A organização afirma que é normal o país sofrer piora nos resultados após iniciar um processo de combate à corrupção, orientando que os efeitos positivos surgem com a persistência no enfrentamento. 
 
A realidade, no entanto, é que após o impeachment da presidente Dilma Rousseff, em maio de 2015, tantos os níveis da percepção de corrupção quanto os índices gerais no desenvolvimento recuaram no Brasil. E, como resultado do golpe parlamentar, o governo do país é administrado hoje por um presidente e grupo de ministros investigados em vários inquéritos, incluindo alguns abertos pela Lava Jato. 
 
A questão, portanto, é como remodelar a estratégia de combate a corrupção no Brasil que, desde 2013, não produziu o fruto desejado. 
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

9 comentários

  1. Vai piorar um pouco mais.Não é o que os manifestoches queriam ?

    Vejam o que captaram no celular de Jucá no momento em que era votado a intervenção no RJ :

    No WhatsApp, Romero Jucá fala sobre “recurso no bolso” e termoelétrica 

    “Reunião acontecendo agora com Paulo Linhares .Ele tá dizendo que o recurso da termelétrica vai pro teu bolso”

    Flagrante do Metrópoles foi feito durante votação de decreto da intervenção no Rio. Senador articula recursos para produção de energia em RR

    Durante a votação no Senado que aprovou a intervenção federal na Segurança Pública do Rio de Janeiro, na noite dessa terça-feira (20/2), o senador Romero Jucá (MDB-RR) foi flagrado pelo Metrópoles em conversa sugestiva no WhatsApp. 

    Na tela do celular do parlamentar, é possível ler a mensagem enviada a ele: “Reunião acontecendo agora com Paulo Linhares. Ele tá dizendo que o recurso da termoelétrica vai pro teu bolso…”. O contato do remetente é Marcelo Guimarães. Em outro trecho da conversa, também é citado um Rodrigo

  2. pretinhos
    O eb chegou para acabar com a farra.
    Meia-dúzia de negrinhos algemados, mostrados no jornal nacional, e estamos ssalvos,
    Com supremo, tanques e coturnos, com tudo:
    Disse na cara-de-pau o gângster, ops, o conservador no congresso.

  3. FAKE NEWS
    O Brasil se auto

    FAKE NEWS

    O Brasil se auto flagela, se expõe, se coloca na vitrine, colocamos a ROUPA SUJA NA JANELA, SÓ NÓS.

    Mexico e Argentina são muito mais corruptos, Russia, India, China e Africa do SUl, tem muito mais corrupção HISTORICAMENTE que o Brasil, os EUA tem outro tipo de corrupção, como detalhei aqui em artigo publicado ontem.

    Mas o BRASIL VITORU ALVO por causa da LAVA JATO e da GLOBONEWS.

    A TRANSPARENCIA INTERNACIONAL deita e rola no Brasil mas esquece de paises muito mais corruptos que não são idiotas para se auto incriminar perante o mundo.

    O Presidente Trump tem uma ficha de 50 anos de trapaças no mercado imobiliario, QUEBROU 4 VEZES, dando prejuizo a credores, MAS NENHUM AMERICANO COMENTA ISSO perante estrangeiros, eles defendem seu Presidente porque isso

    protege a imagem de seu Pais, nós nos AUTO DESPREZAMOS perante o mundo, com prazer.

    Onde estão outros paises processados pelo Departamento de Justiça dos EUA? Processam Angola e sua petroleira SONANGOL, de onde sumiram 32 bilhões de dolares e onde nasceram oito bilionarios, inclusive Isabel dos Santos, filha do ex-Presidente eterno Jose Eduardo dos Santos? A SONANGOL assinou em 2016 um mega contrato com a EXXON para exploração do pre-sal angolano sob as bençãos do Departamento de Energia em Washington. Cade o compliance do Departamento de Justiça? Malham a PETROBRAS e cobram indenizações de bilhões da Brasil e DE MAIS NINGUEM.

    Não há corrupção no Oriente Medio, na Arabia Saudita, em Catar, no Iraque? Só no Brasil?

    O genro de Trum vendeu 112 bilhões de dolares em armamento para a Arabia saudita no ano passado, não teve comissão?

    Alo, alo, Transparencia Internacional, voces sabem onde fica a Arabia Saudita?

    É um Pais onde não se vende um pé de alface sem pagar comissão, isso há milenos.

     

  4. A GLOBONEWS comemorando a

    A GLOBONEWS comemorando a lista da Transparencia, tem toda razão, a GLOBONEWS ajudou muito a PICHAR o Brasil,

    transformando o Pais em um dos piores lugares do mundo, COISA RUIM A GENTE MOSTRA, COISA BOA A GENTE ESCONDE.

     

  5. Não se iluda. Esse ídice é

    Não se iluda. Esse ídice é produzido nos EUA e não faz análise da corrupção nos EUA

    Leia-se o artigo de ANDRÉ ARAÚJO intitulado Há corrupção nos EUA? Sim, tem muita e é legal, publicado no dia 20 p.p. neste blog do Nassif.

    Leia-se também a matéria intitulada Paraísos fiscais: Suíça e EUA são os países mais corruptos do mundo, diz estudo (do intitulado “Financial Secrecy Index – 2018 Results”) 

    https://br.sputniknews.com/europa/2018020610455236-suica-eua-mais-corruptos-mundo/

  6. E o que seria “percepção da
    E o que seria “percepção da corrupcao”?

    Isso é um índice inútil porque é subjetivo. Não há necessariamente correlação entre a percepção da coisa e a coisa em si. uma idiotice absoluta. Basta uma campanha maciça da mídia amplificando casos isolados de corrupcao e a populacao de um pais com pouca corrupção vai desenvolver
    a percepção de pais altamente corrupto.
    E o oposto também acontece, se a corrupção de um pais não for divulgada pela mídia a população pode perceber o país como sem corrupcao. Como bem demonstrou o artigo do André Araújo, é assim que nos EUA a corrupção se torna invisível. É um pais corrupto, onde “Money is king”, mas ninguém fala de corrupcao por lá.

    Esse índice é pura idiotice.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome