Começa o leilão de triplex da OAS no Guarujá

 
Jornal GGN – O triplex do Guarujá, que foi considerado pelo juiz Sérgio Moro como propriedade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, irá a leilão na tarde desta terça-feira (15), mas com a matrícula do imóvel apresentando a OAS como a real proprietária.
 
O apartamento foi avaliado pela Justiça Federal do Paraná em R$ 2,2 milhões, em fevereiro deste ano, quando o juiz de Curitiba liberou o imóvel para ir a leilão. 
 
Os lances podem ser feitos pela internet hoje, às 14h, quando será dada a abertura da venda. Caso ninguém se interesse, o segundo remate será feito no dia 22 de maio. Até agora, há mais de 40 mil visitas e acessos online, mas apenas um interessado, que deu lance pelo valor mínimo estabelecido por Moro.
 
O maior lance será o vencedor e passará a ter a propriedade, atribuída por processos da Lava Jato a Lula, mas que em sua própria matrícula de venda está registrado como pertencente a OAS Empreendimentos:
 
 
Apesar de ser intermediado pela Marangoni Leilões, a data do leilão público foi definida também por Moro. O imóvel descrito como “Apto Ed. Salinas (Cobertura, Triplex)” já havia sido penhorado pela Justiça, em Brasília, em outro processo que tramita contra a empreiteira OAS.
 
Entretanto, durante o processo contra Lula, Moro decidiu confiscar a propriedade como “prova de crime” e, enquanto isso, não poderia ser penhorado. Uma vez confiscado, o apartamento não pertenceria a ninguém, nem à OAS, nem ao próprio ex-presidente condenado por supostamente ter sido o dono.
 
Moro liberou a venda do imóvel antes mesmo de terem sido esgotados os recursos do ex-presidente no Tribunal Regional Federal da 4a. Região (TRF-4), confiante de que Lula iria perder na instância. 
 
Como motivo para adiantar a venda, o juiz de primeira instância pensou no preço do imóvel: na decisão que determinou o edital, o magistrado disse que o leilão é importante para evitar a depreciação do apartamento, considerando que desde 2014 a OAS, formalmente a proprietária, não teria pago o IPTU do imóvel, e que o dinheiro será destinado à Petrobras, como compensação pelos supostos crimes praticados pelo ex-presidente.
 
Na página que pode ser acompanhado o leilão e também o triplex ser arrematado online, assim foi descrito o imóvel pelo próprio juiz Sérgio Moro:
 
 
O vencedor, ou seja, aquele que apresentar o maior lance, terá 72 horas para realizar o pagamento. Terão preferência no leilão condôminos, coproprietários ou cônjuges, como estabelece o Código Civil e o Código de Processo Civil (CPC). 
 
A empresa Marangoni Leilões, que realiza o ato, recebe a comissão de 5% do valor da venda. Se nenhum interessado realizar a compra, no dia 22 de maio um novo lance ocorrerá, desta vez, com lance mínimo de 80% do valor avaliado, ou seja, menos R$ 440 mil nos cálculos de Moro.
 
 
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora