Estadão insinua que Lava Jato deveria fazer Odebrecht fechar as portas

Foto: Pedro Filho/EFE
 
 
Jornal GGN – A equipe do Estadão especializada em Lava Jato perguntou ao procurador da República Carlos Fernando dos Santos Lima como a Odebrecht ainda está de “portas abertas” após admitir que pagou bilhões em propina a políticos a agentes públicos, ao longo de 30 anos.
 
“O País quer saber: como é possível uma empreiteira que admite corrupção escandalosa em todos os níveis de governo ficar de portas abertas? O sr. compraria um parafuso desse grupo?”, disparou o time de jornalistas que inclui Fausto Macedo.
 
Santos, procurador que atuou no caso Banestado, respondeu que as empresas têm direito a fazer acordos de leniência para “passar do lado da ilegalidade, do crime, para o da legalidade”. “Devemos acreditar que a redenção é possível, como aconteceu com a Siemens, pega no maior escândalo de corrupção antes da Odebrecht, e hoje um exemplo de compliance bem sucedido.”
 
O Estadão insistiu: “Não fica a certeza para os contribuintes que valeu a pena a empreiteira roubar e corromper durante 30 anos?”, ao que Lima rebateu: “A empresa foi punida, assim como seus executivos. Nunca houve nada similar no Brasil antes disso. Tenho certeza que melhor que me contentar com a punição da empresa é poder pensar em punir centenas de políticos – pois este acordo forçará outras empresas de outros setores a buscarem novos acordos e a revelarem outros políticos ainda não descobertos– muitos deles com mais de trinta anos de corrupção nas costas.”
 
Lima ainda sinalizou o orgulho da Lava Jato em ter imposto à Odebrecht uma multa de R$ 7 bilhões e dois anos e meio de regime fechado a Marcelo Odebrecht. Para o procurador, foi uma pena muito mais duro do que José Dirceu teve no Mensalão.
 
Sobre caixa 2, Lima admitiu que a Lava Jato busca punição mais severa àqueles que tenham recebido a doação eleitoral ilegal ou oficial, no Brasil ou exterior, com contrapartidas.
 
“Temos que ter muito cuidado com os termos, para não nos deixarmos enganar pelas mentiras. Temos o crime de caixa 2 eleitoral, que é a simples doação para fins eleitorais sem que haja um toma-la-dá-cá, um ato de corrupção. Por outro lado, temos propina, pagamento por um favor ou um benefício criminoso, que pode ser pago por doações oficiais ou por doações não contabilizadas, o que é o crime de corrupção, como foi decidido recentemente pelo Supremo Tribunal Federal. Além disso, os empresários chamam também de caixa 2 – que não se confunde com o crime primeiramente descrito – os valores que mantém à margem da contabilidade da empresa.”
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

18 comentários

  1. mpf e similar, espelho espelho meu tem idiota maior do que eu

    “Temos o crime de caixa 2 eleitoral, que é a simples doação para fins eleitorais sem que haja um toma-la-dá-cá, um ato de corrupção.”

    E olhando a cara do sujeito e a filiação partidária o meretrissimo Carlos etc. vai definir se é ou não é.

    O direito é subjetivo.

     

  2. Já vi esse filme…

    Esse procurador tá cada vez mais rochonchudo, me lembra a musica Calice: de tão gorda a porca já não anda…kkk

    O golpe de 2016 quer fazer com a Odebrecht o que o golpe de 64 fez com a Panair

    Posicionei o video na fala sobre a violencia juridica contra a Panair

    https://youtu.be/e1A9W_9xSts?t=50m1s

     

  3. São muitas perguntas. Por que

    São muitas perguntas. Por que o Estadão faz essa pergunta só agora? Por que o Estadão não pergunta como é possível a Verônica Serra e a Andréa Neves não terem sido chamadas para depor até agora?  Como é possível nenhum tesoureiro do psdb, pmdb, PP terem sido presos até hoje? Como é possível o juiz da globo não ter sido afastado da farsajto após grampear a Presidenta da República até hoje? Por fim, uma pergunta que faço: Como é possível acreditar em qualquer coiaa que venha dessa imprensa hipócrita e manipuladora do Brasil?

  4. Procurador cara de jacarandá…..

    Um absurdo desse tamanho, dito por um procurador da república, deveria resultyar em demissão imediata a bem do serviço público, se houvesse um mínimo de decência nos órgãos encarregados da lei e da ordem nesta Terra Brasilis.

    Se o dinheiro recebido de caixa 2 é ou pode ser legal, como diz o procurador, e o dinheiro registrado na contabilidade regular da empresa pode ser crime, ao talante de um moro vulgar qualquer, chegamos àquela conclusão, “…o estupro foi consentido, portanto, legal”. Mas o sujeito flagrado por objetiva de alcance de 3km fazendo sexo com a esposa, o procurador pode decidir que foi estupro.  Entra ano sai ânus, e a gente se fu…

  5. Em razão de tais crimes,

    Em razão de tais crimes, caberia a estatização das empreiteiras

    Efetivamente, o crime é da iniciativa privada, sabotando o Estado, e, nesse caso deveria ser analisado em toda sua potencial gravidade e, em relação à empresa que realizou tal ato, esta poderia ser estatizada, não somente porque os prejuízos são de tal monta que somente esta medida é possível para cobrir parte dos prejuízos, mas principalmente para proteção do Estado, que foi atingido em sua soberania, pois tal pratica subverte a democracia, a livre inciativa e a liberdade de todos cidadãos brasileiros.

    A Petrobras, enquanto empresa estatal demonstra sua absoluta competência – conquista prêmios internacionais de excelência – , ao contrário do que falam seus detratores da grande mídia e políticos de tendência liberal (PSDB DEM PP PPS), que através do braço privado, empreiteiras e seus executivos, doleiros e intermediários para lavar dinheiro, corrompem, através de muitos milhões de dólares, outros executivos da empresa.

    A parte do Estado, a estatal e seu corpo de funcionários – acumulo de tecnologia e know-how humano -, são exemplares, já a parte da livre empresa – via executivos e suas relações com o grande capital -, neste campo, resta comprovada sua podridão.

    Entretanto, por incrível que pareça, depois disso, os corruptos, os ladrões, do alto de sua empáfia, de sua podridão, postulam, através de seus parceiros da grande mídia,  que tudo lhes seja entregue.

    No caso, a Petrobrás, vítima, corrompida por grandes empresas (nacionais), segundo estes porta-vozes “defensores da livre iniciativa” (grande mídia), para sua preservação, deve ser entregue, acreditem, a outras grandes empresas(neste caso, internacionais).

    Inacreditável.

    Advogam a tese que, a Petrobrás, empresa estatal, roubada por empresários, deverá ser tirada do povo brasileiro e, “doada”(sob a forma de venda justificada), para outros empresários (e, ainda que não sejam os atuais “livres empreendedores”, mas simplesmente a outros livres empreendedores do setor petrolífero – conhecidos no mundo inteiro há décadas por suas guerras, corrupção, poluição e exploração desenfreada -, que são, tão ou mais vorazes, e com a mesma falta de caráter que os precedentes, talvez o idioma não seja o mesmo, mas a inexistência de escrúpulos e a exploração absoluta e predatória é a mesma).

    A mentira e manipulação absoluta consiste na omissão e alteração da ordem dos fatos de modo a tornar a Petrobrás culpada de atos que tem origem externa à companhia.

    Alegam, na maior desfaçatez que, sendo a Petrobrás, controlada pelo Estado, mesmo que a corrupção tenha sua origem na inciativa privada, em razão da atuação corrompida de Executivos da empresa e politicos, neste caso, a corrupção, se transmudaria, de privada para estatal.

    Esta tese, espúria e desonesta, é tão abjeta, que simplesmente suprime o corruptor privado, e coloca o estigma de corrupto na Estatal, que é vitima, pois, atingia pela corrupção via cooptação de seus empregados, instrumentalizada via políticos.

    Efetivamente, o crime é da iniciativa privada, sabotando o Estado, e, nesse caso deveria ser analisado em toda sua potencial gravidade e, em relação à empresa que realizou tal ato, esta deveria ser estatizada (a serem transformadas em sociedades de economia mista e vinculadas ao fundo de previdência estatal), não somente porque os prejuízos são de tal monta que somente esta medida é possível para cobrir parte dos prejuízos, mas principalmente para proteção do Estado, que foi atingido em sua soberania, pois tal pratica subverte a democracia, a livre inciativa e a liberdade de todos cidadãos brasileiros.

    Ao contrário, a grande imprensa, porta voz do capital, na maior desfaçatez, com dedo em riste, culpa o Estado, que de vítima, se torna réu, ao qual, em nome da moralidade nacional, deve ser aplicada a pena máxima, ou seja, se tornar mínimo.  

     

  6. Comentário.

    O sr. Sícsu, em artigo na Carta Capital, mostra até que ponto a roubalheira legal (sic) tomou proporções mais cínicas.

    Enquanto se debruçam sobre os aspectos políticos da Lava Jato, o Temer ainda nada de braçada no entreguismo, com o decreto que permite a empresas internacionais a tomar empréstimos aqui.

    Que se danem o conteúdo nacional e a preservação do BNDES.

    Quer dizer, empresas que já tem grana vão pedir empréstimos. Ou mesmo – o que é pior ainda! – empresas sem caixa para arcar com aquisição de empresas vão pedir empréstimo e se der o calote ou não conseguir  pagar… bom, que a Viúva abra um prostíbulo ou ela arranje um trabalho na área como terceirizada.

    Antes fosse a reforma da Previdência e a terceirização. Ainda haveria, assim como há, resistência, pois é a ponta do processo onde está a pessoa comum, que pensa se vai se aposentar ou não, onde vai trabalhar ou não…

    Essas coisas de economia e política, que atingem a pessoa comum mas não são visíveis (são articulações de outro nível, estruturais e mediatas), não são difíceis de entender, mas são mais difíceis de articular no plano imediato.

    Concordo com a opinião do colega, nos comentários, quando da comparação entre a Odebrecht e a PanAir.

     

  7. Típicos analfabetos

    Típicos analfabetos funcionais do jornalismo brasileiro. 

    Se fossem minimamente informados sobre o tema, saberiam que a REGRA em casos como este é punir as pessoas e manter as empresas operando. É o que ocorre em todo o mundo. 

    Só nesta republiqueta de entreguistas complexados, espumando seu sentimento de vira-lata com microfone na mão, esta coisa é alvo de debate. 

     

  8. País Circo. Vamos dar uma espiadinha neste BBB!

    Estou cansado de assistir nos canais entreguistas o tratamento dado a esta Empresa baiana, da qual, aliás, fui empregado no grupo de engenharia, numa certa fase da minha vida profissional, quando era sócia da Comex francesa, na área de exploração de petróleo.

    É como se fosse apenas um escritório virtual de lavagem de dinheiro, aliciadora de inocentes e devotados servidores do bem comum.

    Ora, ora! Sabemos como se consegue contratos na esfera pública, quiçá até em quase toda esfera privada.

    Enquanto a mídia capciosa e hipócrita se diverte com este BBB político, ninguém trabalha e produz neste país. Viramos o país do Circo.

    A empresa não é apenas um escritório distribuidor de propinas em busca de contratos fraudulentos. Ela é capaz de realizar, realiza e realizou, obras de grande porte e alta complexidade técnica. Se seu escritório de contratos avançou o sinal, extrapolou e se perdeu, não se pode punir todo o seu corpo de técnicos supercapazes e hipercompetentes.

    Destruir este legado nacional só dá prazer aos entreguistas de plantão. Palhaços Mor da destruição do nosso Desenvolvimento.

  9. Por que o Estadão não fecha as portas ?

    Ah, mas o Estadão e seus patrões devem ser baluartes de todas as virtudes e moral. Aposto que o Estadão é uma empresa que nunca sonegou uma virgula e que seus proprietarios investem todo o dinheiro no Brasil, não tem offshore nem conta em paraiso fiscal, nada. Santos.

    • por que…..

      Continuamos na nossa Ditadura do Anticapitalismo Tupiniquim. Destruimos empresas, economia, empregos brasileiros enquanto mantemos a Elite da Casa Grande parasitando o Estado. Repetimos o caso do Mensalão. A maior pena e a pessoa que continua presa é a Gerente do Banco. SURREAL !!!!  O quarto escalão é responsável por corrupção que acontece na ante-sala da Presidência da República. Os casos atuais são semelhantes. Enquanto o Poder Corrompedor vai protelando investigações, continua comandando o país, escondendo provas, pressionando Poderes, investigadores e Justiça, empresários que foram extorquidos, coagidos e suas empresas vão sendo destruídos. Parabéns Brasil. Vai longe.    

    • Estão atacando a Odebrecht,

      Estão atacando a Odebrecht, como se ela fossa corrupta sozinha. Sabemos que se o empreiteiro nao “molhar” a mao dos politicos, nao tem obra.

  10. Pelo mesmo criterio deveriam

    Pelo mesmo criterio deveriam ter sido fechadas a SIEMENS, a ALSTHOM, a HALLIBURTON, a EMBRAER e todas as centenas de GRANDES construtoras do ranking das 500 maiores do mundo da revista ENGE NEERING NEWS RECORD, a maioria das quais é de paises do terceiro mundo e que fazem obras na Africa e Oriente Medio, entre as quais empreiteiras turcas, indonesias, tailandesas, malaias, espanholas, coreanas, com certeza NENHUMA dessas pagam propina para obras na Africa, não é mesmo? E no Orinete Medio onde não se vende um pé de alface sem pagar comissão?

    Onde esses jornalistas estão com a cabeça? O Brasil vai viver de emprego publico? E quem faz a produção, quem constroe as usinas hidro eletricas? As estradas? Os aeroportos? Não vão ser os jormalistas e nem os procuradores.

  11. Quantos empregos gera a

    Quantos empregos gera a Odebretch? E quantos gera o Estadão?

    Na empresa baiana trabalham todo tipo de profissional, de operários a engenheiros altamente especializados e pesquisadores em alta tecnologia. E no jornaleco profissionais que ficam em suas sala com ar-condicionado a espera de vazamentos de suas fontes na PF, MP e etc, como o arrogante Fausto Macedo.

    Para o Brasil o que seria melhor? É claro que é o fechamento do estadinho e o receptores da vazamentos que procurem seguro-desemprego.. Se fosse assim, a recuperação da economia seria rápida. Infelizmente não é

  12. Pela lógica do estadinho,

    Pela lógica do estadinho, vamos fechar o congresso nacional, o poder executivo e o judiciário também. As forças armadas e todos os meios de comunicação. Pelo motivo de, se uma empresa corrompe, alguém foi corrompido. E até agora, a única instituição que não foi delatada foi a igreja, a católica, pois os evangélicos estão todos na suruba, né malafaia???  Viva “ESSA PORRA”!!!!, Viva “ESSA PORRA”!!!!, Viva “ESSA PORRA”!!!!

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome