“Coração generoso” de Moro foi o que salvou Cláudia Cruz, diz procurador

Foto: Agência Brasil

Jornal GGN – O procurador da República Carlos Fernando dos Santos Lima, membro da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba, disse nesta sexta (26) que a única coisa que pode explicar a decisão de Sergio Moro em relação à Claudia Cruz é o “coração generoso” do juiz.

Na noite de quinta, a decisão de Moro sobre a ação penal em que Claudia era acusada de lavagem de dinheiro e evasão de dividas veio a público: o magistrado absolveu a esposa de Eduardo Cunha por falta de provas e não comprovação de dolo. Ele ainda escreveu, no despacho, que a jornalista foi imprudente por nunca se perguntar de onde vinham os recursos que ela despendia com exagero no exterior, já que o marido era apenas um agente público com remuneração limitada.

Moro entendeu que embora Eduardo Cunha tenha comprovadamente algumas contas na Suíça abastecidas com dinheiro de corrupção na Petrobras, a Lava Jato não conseguiu provar que a conta específica de Cláudia Cruz recebeu esses recursos. 

“Nós vamos recorrer, nós discordamos (da absolvição). Cremos que isso decorre muito mais do coração generoso do doutor Sérgio Moro e na interpretação de um fato envolvendo a esposa de uma pessoa sabidamente ligada à corrupção”, disse o procurador.

“Uma pessoa como a senhora Cláudia Cruz, jornalista com nível cultural que ela tinha e ausente qualquer justificativa para ganhos dessa natureza do seu marido, que nada mais era que um deputado, então, portanto com ganhos limitados, nós entendemos que é injustificável absolvição”, acrescentou, segundo relatos do Estadão.

Para a Lava Jato, Claudia, ao gastar milhares de dólares em várias compras luxuosas em lugares como Dubai, Miami, Paris e Roma, “cometeu o crime de lavagem”. “Nós não estamos acusando Cláudia Cruz da corrupção, mas sim de lavagem. Portanto, neste aspecto o comportamento dela não é justificado e é criminoso. Nós vamos recorrer e esperamos, como outros casos nós temos tido sucesso, que no Tribunal [Regional Federal] haja reversão dessa absolvição”, comentou Lima.

Apesar de ter absolvido Cláudia Cruz, Moro mandou sequestrar cerca de R$ 650 mil que ainda restavam em sua conta no exterior, porque pode ser material criminoso.

Assine

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora