Coronavírus força atraso em caso de extradição dos EUA contra Assange

Assange, de 48 anos, está preso em Belmarsh, em Londres, onde luta contra o pedido dos Estados Unidos para enviá-lo a julgamento por conspiração por invadir computadores e espionagem do governo.

File: Tolga Akmen/AFP

Jornal GGN – As audiências no caso de extradição dos Estados Unidos contra o fundador do WikLeaks, Julian Assange, não serão realizadas no próximo mês, como previsto, devido ao bloqueio do coronavírus, que impede os advogados de comparecerem ao tribunal. Esta foi a decisão de um juiz britânico.

Assange, de 48 anos, está preso em Belmarsh, em Londres, onde luta contra o pedido dos Estados Unidos para enviá-lo a julgamento por conspiração por invadir computadores e espionagem do governo.

Julian Assange foi arrastado da embaixada do Equador em Londres no ano passado, após um impasse de sete anos.

O ativista diz que poderia passar décadas na prisão se condenado, e considera o caso contra ele político e uma ameaça à liberdade de expressão. Os EUA dizem que ele colocou em perigo a vida dos informantes publicando segredos.

Com informações do Al Jazeera.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora