Crivella é criticado nas redes e Paes diz que transição seguirá igual

A prisão do atual prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (Republicanos), na manhã desta terça (22), repercutiu nas redes com manifestações de políticos e oposição

Foto: Reprodução TV Globo

Jornal GGN – A prisão do atual prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (Republicanos), na manhã desta terça (22), repercutiu nas redes com manifestações de políticos e oposição.

O eleito para assumir o lugar de Crivella a partir de 2021, Eduardo Paes (DEM), não criticou o atual prefeito e falou como funcionará a transição para o seu governo na capital fluminense.

Paes disse que a transição seguirá “da mesma forma” e que conversou com o presidente da Câmara de Vereadores, Jorge Felippe (DEM), que assumirá o comando da Prefeitura enquanto Crivella estiver preso.

“Conversei nessa manhã com o presidente da Câmara de Vereadores Jorge Felipe para que mobilizasse os dirigentes municipais para continuar conduzindo suas obrigações e atendendo a população. Da mesma forma, manteremos o trabalho de transição que já vinha sendo tocado”, escreveu Paes.

Também da oposição, a deputada estadual e candidata à Prefeitura este ano, Martha Rocha (PDT), disse que “demorou” e que espera “que os fatos ligados ao prefeito e o seu QG da Propina sejam apurados e que a justiça seja feita”.

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) ressaltou que “o povo é que sofre” com a “ganância de político que não tem responsabilidade com a coisa pública”.

O deputado federal Alessandro Molon (PSB-RJ) escreveu que “durante esses quatro anos, quem mais sofreu foi o carioca, que viu o Rio ser sucateado em meio a inúmeras denúncias e escândalos envolvendo a prefeitura”.

O também deputado federal Ivan Valente (PSOL-SP) criticou Crivella e afirmou que a “extrema-direita confunde-se com o crime”.

“Parece que o pé frio de Bolsonaro vai além das urnas”, escreveu Orlando Silva (PCdoB-SP).

 

Leia mais:

No Rio de Janeiro, Marcelo Crivella é preso por esquema de corrupção

A prisão de Crivella e as arbitrariedades do Judiciário

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora