Cunha, Cláudia Cruz e empresas áreas são alvos de operação do MP

Cunha poderia ter sido beneficiado com a aprovação de leis que reduziram a alíquota do ICMS da aviação civil de 25% para 12%, entre 2012 e 2014

Jornal GGN – O Ministério Público do Distrito Federal realizou, na manhã desta quarta (03), uma operação contra o ex-deputado e ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha. A suspeita é de recebimento de propina para, em troca, aprovar leis que reduziram imposto da aviação civil.

Ao todo, foram cumpridos 16 mandados de busca e apreensão no Distrito Federal e em outros quatro estados – São Paulo, Rio, Espírito Santos e Goiás.

Segundo os investigadores, Cunha poderia ter sido beneficiado com a aprovação de leis que reduziram a alíquota do ICMS da aviação civil de 25% para 12%, entre 2012 e 2014.

A Operação deflagrada na manhã de hoje tem como base a delação premiada de Lucio Funaro no Supremo Tribunal Federal (STF), e está sendo apurada pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado).

Tido como o operador financeiro do MDB, em sua delação premiada, Funaro havia mencionado, ainda em 2018, o suposto pagamento de R$ 20 milhões a Michel Temer em troca da abertura no setor, que implicaria interesses do então fundador da Gol, Henrique Constantino.

As autoridades também suspeitam de articulações pela Latam, envolvendo ainda o ex-vice-governador do Distrito Federal, Tadeu Filipello (MDB), que teria usado o valor adquirido no suposto esquema para comprar imóveis comerciais. A esposa de Eduardo Cunha, Cláudia Cruz, também foi alvo das buscas.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome