Cúpula da PF agora diz que o escândalo da “carne podre” não pode ser generalizado

Jornal GGN – Quatro dias após o “escândalo da carne podre” criado pela Operação Carne Fraca ganhar proporções incontroláveis e levar a exportação do produto brasileiro a ser boicotado em vários países do mundo, a cúpula da Polícia Federal, após reunião no Ministério da Agricultura, enviou nota à imprensa dizendo que os problemas de fiscalização alardeados, na verdade, são pontuais, e que o sistema de inspeção federal não pode ser questionado de maneira generalizada.

“Embora as investigações da Polícia Federal visem apurar irregularidades pontuais identificadas no Sistema de Inspeção Federal (SIF), tais fatos se relacionam diretamente a desvios de conduta profissional praticados por alguns servidores e não representam um mal funcionamento generalizado do sistema de integridade sanitária brasileiro”, diz a nota.
 
O informe só foi veiculado após o delegado geral da PF, Leandro Daiello, ter encontro com o secretário executivo do Ministério da Agricultura, Eumar Roberto Novacki. Nos últimos dias, o governo Temer tem se empenhado em contornar os estragos provocados pelo lançamento da operação Carne Fraca, na sexta-feira (17).
 
Na ocasião, o delegado da PF em Curitiba, Maurício Moscardi Grillo – o mesmo que disse que a Lava Jato perdeu o “timing” para prender Lula – disse à imprensa que era possível que a população tivesse consumido carne de péssima qualidade, mesmo sem conhecer o alcance real do esquema apurado na Carne Seca.
 
A operação investiga esquema de pagamento de propina para burlar a fiscalização de fiscais federais em empresas produtoras de carne, entre outras irregularidades. Moscardi ainda disse que o esquema abastecia o caixa de campanha de PP e PMDB, mas a PF não sabe dizer quem foram os beneficiados. Tampouco tem noção do volume de propina movimentado.
 
Abaixo, a nota completa.
 
NOTA A IMPRENSA – OPERAÇÃO CARNE FRACA
 
Brasília/DF – Sobre a Operação Carne Fraca, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e a Polícia Federal esclarecem:
 
1.            A reunião ocorrida hoje (21) entre o Secretário Executivo do MAPA, Eumar Roberto Novacki, e o Diretor Geral da PF, Leandro Daiello Coimbra, teve como objetivo fortalecer a relação entre as instituições e reafirmar o compromisso de ambas em elucidar os fatos investigados.
 
2.            A operação deflagrada na última sexta-feira (17) tem como foco a eventual prática de crimes de corrupção por agentes públicos;
 
3.            Embora as investigações da Polícia Federal visem apurar irregularidades pontuais identificadas no Sistema de Inspeção Federal (SIF), tais fatos se relacionam diretamente a desvios de conduta profissional praticados por alguns servidores e não representam um mal funcionamento generalizado do sistema de integridade sanitária brasileiro. O sistema de inspeção federal brasileiro já foi auditado por vários países que atestaram sua qualidade. O SIF garante produtos de qualidade ao consumidor brasileiro.
 
Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento
Polícia Federal
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora