Depoimentos sobre Teori que mais falam dos autores, por Gustavo Medeiros

Por Gustavo Adolfo de Medeiros

Existe na psicologia a Teoria do Espelho. Nela, a pessoa transfere seu próprio defeito para outra pessoa. Por exemplo, é muito comum, pessoas vaidosas reclamarem da vaidade de outras pessoas. Os arrogantes fazem isto também.

Curiosamente percebo que isto é válido também sob o ponto de vista positivo. Você vê em si mesmo qualidades que gosta tanto que procura identificá-las nas outras pessoas. Isto pode acontecer para uma mulher de belas mãos, por exemplo, e que passe a valorizar as mãos das outras pessoas, positivamente ou negativamente, porque o foco dela passou a estar nisto. Se ela tivesse uma mão comum, nem muito bonita e nem muito feia, talvez não desse importância às mãos de ninguém. É como se dissesse: “Belas mãos são importantes, porque eu valorizo nos outros o que tenho de melhor”.

O que vimos nas declarações sobre a morte de Teori Zavascki foi, no fundo no fundo, sem parodiar a tragédia, um festival de autoelogios.

Vejamos o depoimento da presidenta do STF:

“O ministro Teori Zavascki representa um dos pontos altos na história da nossa Justiça. O seu trabalho permanecerá para sempre, e a sua presença e o seu exemplo ficarão como um rumo do qual não nos desviaremos, cientes de que as pessoas morrem, suas obras e seus exemplos, não”

A presidenta Carmen Lúcia* é conhecida por suas frases de efeito. Veja as palavras que ela usou: “pontos Altos na História”, “Trabalho permanecerá para sempre”, “pessoas morrem, suas obras e seus exemplos, não”. Carmen Lúcia sempre procura deixar legados, nem que seja apenas frases de efeito. E tenta sempre se mostrar como exemplo, ela cuida sempre da sua própria imagem nem que seja o próprio carro…

Vejamos o depoimento do Ministro Luís Roberto Barroso:

“Teori era um homem íntegro, preparado e trabalhador. Perco um amigo querido, que eu recebia em casa com frequência”

Aqui Barroso valoriza a integridade, preparo e ser trabalhador, virtude que deve reconhecer em si mesmo. Barroso é um reconhecido jurista e sabe que tem um excelente preparo. Mas o que me chamou a atenção foi a questão da amizade. Como todo bom advogado, valoriza o contato pessoal. Chegou ao STF como iluminista. De repente, vira alvo da Veja. O que ele faz? Aproxima-se do pessoal da Lava-jato, a ponto de organizar uma palestra de Sérgio Moro e Dallagnol. Hoje, defende a tal PEC da morte e a prisão em segunda instância… quem te viu e quem te vê….

https://www.youtube.com/watch?v=Iq9AfjGxAR0

A coisa começa a ficar mais explícita com o depoimento de Marco Aurélio Mello:

“Ele preservava o bom humor e atuava com desassombro. Para ele, processo não tinha capa, tinha conteúdo”

Se mudar a pessoa e tempo verbal, ficará claro que Marco Aurélio Mello está falando de si mesmo:

“Eu preservo o bom humor e atuo com desassombro. Para mim, o processo não tem capa, tinha conteúdo”. Vejamos a palavra “não tem capa”.
Querem a prova que ele estava falando de si mesmo?
“Marco Aurélio garantiu que a suspensão do processo não beneficiará os réus ao expor o caso a risco de prescrição:
— As decisões sobre esse processo (Furacão) são recentes. Tanto assim que ainda nem ocorreu o julgamento em segunda instância. Portanto, não há risco algum de prescrever.
O ministro ressaltou ainda que agiu no caso como faria em qualquer processo semelhante:
— Processo não tem capa. Não importa se foi proposto por um advogado ou pela Defensoria Pública. Agiria da mesma forma.”

Fonte: O Globo 29/10/2016

“Foi revelar que o processo não tem capa, o processo tem conteúdo e cabe ao Supremo tornar concreta, em termos de eficácia, a ordem jurídica brasileira. Vimos serem julgados e condenados o auxiliar direto do presidente da República e chefe da Casa Civil, o cidadão José Dirceu, deputados representantes do povo brasileiro, dirigentes do partido, presidentes, tesoureiro, empresários e banqueiros.”

Fonte: Exame 13/11/2015

Quanto ao bom humor, ele se vê como uma pessoa bem humorada a ponto de sair com gracinhas do tipo:

“A avaliação do ex-presidente Lula (PT) de que o julgamento do mensalão teve 80% de decisão política é um “troço de doido”, segundo o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello. “Não sei como ele tarifou, como fez essa medição. Qual aparelho permite isso? É um troço de doido”, disse, de acordo com a Folha de S. Paulo.

Marco Aurélio acredita que o ex-presidente está exercendo o seu “sagrado direito de espernear”. No entanto, ele espera que a tese que Lula defende não ganhe ressonância na sociedade.”

Fonte: Blog da Folha, 28/04/2014

‘O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Marco Aurélio Mello ironizou as afirmações do deputado Valdemar Costa Neto (PR-SP) de que vai reclamar à OEA (Organização dos Estados Americanos) sobre sua condenação. Segundo o ministro, trata-se do “direito de espernear ou fazer discurso político”.’

Fonte: Folha de São Paulo, 04/10/2012

A própria Presidenta Dilma que nomeou o ministro falou de si mesma:

“É com imenso pesar que recebo a notícia da trágica morte do ministro Teori Zavascki. Hoje perdemos um grande brasileiro**. Como juiz e cidadão, Teori se consagrou como um intelectual do Direito, zeloso das leis e da Justiça. Tive o privilégio de indicá-lo para ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), com ampla aprovação do Senado. Desempenhou esta função com destemor como um homem sério e íntegro.

Dilma tem como qualidades ser zelosa, séria e íntegra e sabe disso. Então atribuiu as características que reconhece em si mesma no Teori. Fez mais que isso, atribuiu ao Teori a mais importante delas, a coragem na palavra “destemor”. Vale a pena lembrar que Dilma ficou na clandestinidade enfrentando ditadura com 18 anos e resistiu bravamente a torturas terríveis. Recentemente vimos sua coragem na sua luta contra o Impeachment.

Mas para o final, deixo os melhores, o depoimento do Procurador Geral Rodrigo Janot:
“não hesitou em adotar medidas inéditas”

Por “medidas inéditas” leia-se “medidas de exceção” que romperiam o Estado de Direito. Para ele, fazer medidas de exceção é uma atitude virtuosa. Curiosamente quase todas as pessoas, que pregam e agem usando medidas de exceção, evocam também o Estado de direito e disse:

“É inegável e inquestionável a grande contribuição que o ministro Teori Zavascki deu ao Estado Democrático de Direito Brasileiro a partir da sua atuação como magistrado”. Estado Democrático de Direito Brasileiro que o próprio Janot ajudou a destruir com uma “medida inédita” ao se aliar a Moro e trair a presidenta da república ao endossar um ato criminoso contra quem a nomeou.”

E o melhor dos melhores foi o que disse, Juiz e também deus, Sérgio Moro:

“O ministro Teori Zavascki foi um grande magistrado e um herói brasileiro. Exemplo para todos os juízes, promotores e advogados deste país. Sem ele, não teria havido a Operação Lava Jato. Espero que seu legado, de serenidade, seriedade e firmeza na aplicação da lei, independente dos interesses envolvidos, ainda que poderosos, não seja esquecido.”

Vamos mudar o tempo verbal e a pessoa e ver se não se encaixa no que os fãs pensam de Moro e no que o magistrado pensa de si mesmo:
“Eu sou um grande magistrado e um herói brasileiro. Exemplo para todos os juízes, promotores (lembre-se Moro tb age como promotor) e advogados deste país. Sem mim, não teria havido a Operação Lava Jato. Espero que meu legado, de serenidade, seriedade e firmeza na aplicação da lei, independente dos interesses envolvidos, ainda que poderosos, não seja esquecido.”

Vejam o que anos de gibi lendo o Batman não fazem com as pessoas… Moro é tão egocêntrico que no fundo quando fala dos outros está falando de si mesmo. Tudo isto disfarçado numa capa de falsa humildade.

Veja que Moro não mencionou o lado discreto de Teori e nem Janot o lado legalista do ministro. Até porque não são valores importantes para eles.

Vou falar mais depois sobre Teori Zavasckis em outro artigo, esperando não fazer do ministro um espelho das minhas próprias virtudes. Tenho muita coisa a dizer sobre o falecido magistrado. Mas posso adiantar que Teori era um intelectual sério, observador, racional e capaz de entender as mensagens nas entrelinhas… opa. Melhor terminar o artigo.

* – “presidenta”, já que ela pediu para ser chamada de “presidente”, lembrando o que fizeram com a Dilma que pedia sempre para ser chamada de presidenta. Além disso, ela foi tremendamente deselegante com a ex-presidenta.

** – “É com imenso pesar que recebo a notícia da trágica morte do ministro Teori Zavascki. Hoje perdemos um grande brasileiro” – Frase típica da Dilma, se substituir o nome Teori por outro falecido importante é capaz de ver praticamente a mesma frase.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora