Dilma refuta acusações em delação publicada pelo O Globo

 
Jornal GGN – Por meio de nota, a assessoria da presidente Dilma Rousseff rebateu acusações contidas reportagem do O Globo, afirmando que elas são “mentirosas e levianas”. Na matéria “Delator diz que pagou US$ 4,5 milhões em caixa 2 para campanha de Dilma”, o jornal diz que Zwi Skornicki, representante do estaleiro Keppel Fels, contou em sua delação premiada que João Vaccari Neto teria pedido US$ 4,5 milhões para a campanha de reeleição de Dilma, em 2014. 
 
Dilma refuta a insunuação de que teria conhecimento do pedido. A nota diz que é “público e notório” que o tesoureiro da campanha de 2014 foi Edinho Silva, ex-ministro, que era quem tratava da arrecadação da campanha. Ainda afirma que todas as doações foram legais e que estão na prestação de contas aprovada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Leia mais abaixo:
 
Nota à imprensa
 
A respeito da reportagem “Delator diz que pagou US$ 4,5 milhões em caixa 2 para campanha de Dilma”, publicada pelo ‘Globo On Line’, na noite desta quarta-feira, 8 de junho, a Assessoria de Imprensa da Presidenta Dilma Rousseff esclarece:
 
São mentirosas e levianas as acusações lançadas, mais uma vez com base em delações vazadas seletivamente e publicadas pelo jornal ‘O Globo’, tratando de doações para a campanha da reeleição. Mais uma vez, o jornal sequer teve a dignidade de procurar esta assessoria para esclarecimentos.

A Presidenta Dilma Rousseff rechaça a insinuação de que teria conhecimento de um suposto pedido de R$ 4,5 milhões feito pelo tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, ao representante no Brasil do estaleiro Keppel Fels, Zwi Skornicki, para a campanha da reeleição.
 
Como esclareceu em diversas ocasiões, é público e notório que o tesoureiro da campanha da reeleição foi o ex-ministro Edinho Silva. Ele é quem tratava da arrecadação para a campanha em 2014. Todas as doações de empresas foram legais e estão na prestação de contas aprovada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).
 
A campanha caluniosa de uma parte da imprensa contra a honra da Presidenta Dilma Rousseff não se sustenta porque está baseada em ilações e suposições. Não há provas ou evidências de fraude ou crime eleitoral.
 
Por último, a Presidenta Dilma Rousseff reafirma que os recursos pagos a João Santana para a campanha da reeleição em 2014 totalizam R$ 70 milhões – R$ 50 milhões no primeiro turno e R$ 20 milhões no segundo turno.
 
O ataque promovido por setores da imprensa não irá prevalecer. A Presidenta Dilma Rousseff vai vencer a onda de novas calúnias e difamações dirigidas contra a sua honra. A verdade será restabelecida na Justiça.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora