‘É clara interferência no processo eleitoral’, diz Paes sobre ação de busca contra ele

O mandado foi expedido pelo juiz Flávio Itabaiana Nicolau, que acatou denúncia contra Paes e outros quatro investigados pelo Gaecc

(Tânia Rêgo/Agência Brasil)

Jornal GGN – Próximo das eleições municipais, juiz do Rio de Janeiro investe contra ex-prefeito Eduardo Paes, tornando-o réu na Justiça Eleitoral. Sobre a ação de busca e apreensão cumprida pelo Ministério Público do Rio de Janeiro, em sua casa, na manhã de hoje, Paes classificou a ação como uma ‘tentativa clara de interferência no processo eleitoral’. O ex-prefeito oficializou sua candidatura na semana passada pelo partido Democratas.

Em nota, a assessoria disse que ‘às vésperas das eleições para a Prefeitura, Eduardo Paes está indignado que tenha sido alvo de uma ação de busca e apreensão numa tentativa clara de interferência do processo eleitoral – da mesma forma que ocorreu em 2018 nas eleições para o governo do Estado’.

O mandado foi expedido pelo juiz Flávio Itabaiana Nicolau, que acatou denúncia contra Paes e outros quatro investigados pelo Gaecc – Grupo de Atuação Especializada no Combate à Corrupção, junto à 204ª Zona Eleitoral. A denúncia os torna suspeitos dos crimes de corrupção, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro.

Na denúncia, o MP-RJ afirma que Paes teria recebido da Odebrecht quantia próxima a R$ 10,8 milhões para financiamento de campanha de reeleição em 2012 por meio de caixa 2. Além dele, foram denunciados o deputado federal Pedro Paulo e os empresários Benedicto Barbosa da Silva Junior, Leandro Andrade Azevedo, e Renato Pereira e Eduardo Bandeira Villela ligados à agência de publicidade Prole.

A denúncia faz parte de um inquérito de abril de 2017 que corre no Supremo Tribunal Federal (STF) por crimes supostamente praticados nas campanhas eleitorais de 2010, 2012 e 2014, por Eduardo Paes e Pedro Paulo, com base nas delações de executivos da Odebrecht.

Além das delações, o MP diz a prática de crimes é confirma por provas obtidas de fontes independentes em documentações obtidas da Trans-Expert.

A denúncia, e consequentemente a ação de hoje, não torna Eduardo Paes impedido de disputar a eleição, já que não há condenação neste processo.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora