Em depoimento, Cerveró diz que “negócio do Collor é dinheiro”

Jornal GGN – Nestor Cerveró, ex-diretor da Petrobras, disse que o senador e ex-presidente Fernando Collor (PTB-AL) não arrecada para partido, mas para ele mesmo. Em depoimento para a Procuradoria-Geral da República, Cerveró também disse que o o ex-ministro Pedro Paulo Leoni Ramos “mostrou uma tabela de valores mensais para Fernando Collor” que chegava a na casa dos milhões de reais.

Collor já foi denunciado pelo PGR ao Supremo Tribunal Federal (STF) pela suposta prática de corrupção e lavagem de dinheiro, e também é alvo de dois inquéritos sobre o tema. O senador disse que o vazamento das declarações é “ilegal e busca covardemente verificar alvos escolhidos junto à opinião pública”.

Do Estadão

O negócio do Collor é dinheiro’, afirma Cerveró

Ex-diretor da Petrobrás declarou que senador ‘não arrecada para partido, mas para ele mesmo’ e diz que ex-ministro lhe mostrou ‘tabela de valores mensais para Fernando Collor’

O ex-diretor da área Internacional da Petrobrás Nestor Cerveró citou o senador Fernando Collor (PTB-AL) em suas declarações à Procuradoria-Geral da República, preliminares ao acerto de colaboração premiada que firmou na Operação Lava Jato. Segundo o delator, “o negócio do Collor é dinheiro, ele não arrecada para partido, mas para ele mesmo.”

Cerveró fechou o acordo no dia 18 novembro de 2015. O executivo está preso desde janeiro do ano passado.

No documento entregue ao Ministério Público Federal, o delator afirmou que estudou com Collor no Rio e ‘sabe que o mesmo é rico de família e muito esbanjador’. “Sabe que “o negócio do Collor é dinheiro, ele não arrecada para partido, mas para ele mesmo”.”

basesecollor1

 

basesecollor2

 

basescollor3

O delator citou o ex-ministro do governo Collor, Pedro Paulo Leoni Ramos, apontado pelos investigadores da Lava Jato como operador de propinas do senador. “Soube através de Pedro Paulo Ramos, que foi pago propina e que foi repassado para Collor, pelo próprio Pedro Paulo Ramos, mas não sabe precisar o valor correto. Mas em certa oportunidade, Pedro Paulo Ramos mostrou uma tabela de valores mensais para Fernando Collor, que chegava, na margem de milhões de reais”, afirmou.

Collor já foi denunciado pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ao Supremo Tribunal Federal (STF) pela suposta prática de corrupção e lavagem de dinheiro na Lava Jato. O senador também é alvo de outros dois inquéritos sobre o tema.

O delator declarou ao Ministério Público Federal que já esteve na Casa da Dinda, residência do senador, em Brasília. “O lugar é nababesco.” Cerveró foi diretor de Internacional da Petrobrás entre 2003 e 2008. Após ser exonerado do cargo, assumiu a diretoria financeira da BR Distribuidora, subsidiária da estatal, onde ficou até 2014.

O nome de Collor foi citado pelo ex-diretor da Petrobrás em um documento intitulado “Assunto: Construção de bases da UTC”. Segundo Cerveró, durante o período em que ele estava na BR Distribuidora – onde ocupou o cargo de diretor financeiro – , foram ‘realizadas licitações (todas direcionadas) para a UTC’ construir bases de tancagem e armazenamento para a subsidiária. O delator afirmou que todas foram aprovadas por todas as diretorias da BR Distribuidora.

“Assim, aprovadas as construções, foram realizadas licitações – todas direcionadas – sendo que a UTC restou como ganhadora e construiu as bases de Porto Nacional /TO, base do Acre e uma reforma de outra base da qual não se recorda o nome. A diretoria responsável pela construção das bases era a diretoria de Engenharia e Serviços, cujo diretor era José Zonis, indicado pelo senador Fernando Collor”, declarou.

À Procuradoria, o delator relatou que participou da aprovação e dos pagamentos das bases, cujo orçamento era na casa de R$ 500 milhões, mas não recebeu nenhuma propina. De acordo com Cerveró, neste caso, a propina não foi compartilhada com todas as diretorias.

“Somente recebeu a diretoria de Engenharia e Serviços, que repassou a propina ao senador Fernando Collor. Em outras situações que serão apresentadas no futura, a propina foi compartilhada”, sustentou. Cerveró informou.

“Zonis em outras oportunidades comentou que Collor sempre cobrava propina dos negócios relacionados a diretoria dele, sendo que inclusive Zonis foi substituído por Vilson por determinação de Collor, já que não atendeu a todas as demandas do senador.”

No capítulo ‘Conhecimento do fato’, registrado pela Procuradoria, Cerveró reiterou. “A UTC deve ter o registro do pagamento para Pedro Paulo, que repassava para Collor. Diretor Zonis indicado pelo Collor. Collor tinha grande influência na BR, pois havia indicado o presidente Lima e tinha as diretorias de Serviços e rede de postos.’

Um dos delatores da Lava Jato, Ricardo Pessoa, dono da UTC Engenharia, disse que repassou a Collor R$ 20 milhões para conseguir obras de infraestrutura na BR licitadas na gestão do presidente José Lima de AndradeNeto.

A reportagem não conseguiu localizar o ex-presidente da BR Distribuidora José Lima de Andrade Neto e o executivo José Zonis.

COM A PALAVRA, O SENADOR FERNANDO COLLOR

“O vazamento parcial de declarações atribuídas a Nestor Cerveró é ilegal e busca covardemente verificar alvos escolhidos junto à opinião pública. O senador Fernando Collor não teve qualquer participação ou ingerência em processos internos e licitações realizadas pela BR Distribuidora, bem como jamais recebeu recursos ilícitos da UTC, nem diretamente nem por interposta pessoa.”

COM A PALAVRA, O CRIMINALISTA ARNALDO MALHEIROS FILHO, ADVOGADO DE PEDRO PAULO LEONI RAMOS, O PP

O criminalista Arnaldo Malheiros Filho informou que não iria se manifestar por enquanto porque ainda não teve acesso aos termos da delação premiada  de Nestor Cerveró.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

11 comentários

  1. Se procurar mais…

    Se procurar mais poderemos achar que a verdadeira causa do Impeachment foi o fechamento – pela parte do Collor – das torneiras de arrecadação dos outros partidos, notadamente o PMDB e o PSDB.

    O partido do Collor ficou sendo um cachorro pequeno que não deixava comer os outros cachorrões.

    • Se o PT sempre soube disso,

      Se o PT sempre soube disso, porque entregou a BR Distribuidora de porteira fechada para um ex presidente que foi cassado ?

      Essa pergunta traz pensamentos nebulosos !!!

      • Pode duvidar, sim!
        Talvez encontrem gente do PT envolvida. É muito provável, no maior partido do Brasil.
        Em compensação, é o PT que está permitindo esta grande investigação, mesmo com risco de cortar a própria carne.
        O PT é como a própria Petrobras, grande e em favor do Brasil. Corruptos talvez sejam alguns dirigentes.
        O PT entregou muita coisa de porteira fechada, pois não recebeu, do povo, o apoio político suficiente no Congresso. Vamos torcer para mudar isso!

  2. “O criminalista Arnaldo

    “O criminalista Arnaldo Malheiros Filho informou que não iria se manifestar por enquanto porque ainda não teve acesso aos termos da delação premiada  de Nestor Cerveró”:

    Alguem fale pra ele que ta nos jornais.

    (Quanto a Collor, que grande surpresa…)

  3. Bandido da pior espécie.
    Bandido da pior espécie, um tipo repugnante, nojento.

    É uma grande vergonha para a nação brasileira ter entre seus principais quadros políticos um indivíduo desse quilate.

    Sinto ódio pelo Collor.

    • Concordo com bocê

      Collor é repugnante. Já na campanha presidencial de 89 Lula constatou na própria pele quão repugnante Collot é. Existem inúmeros videos nos quais Lula ataca Collor pesadamente. MAS: como explicar o fato de o governo petista tê-lo trazido para a base aliada do governo e tė-lo presenteado com cargo tão lucrativo na BRDistribuidora ? Esse pacto do diabo do PT   se virou contra ele próprio. Agora não dá para se imiscuit dessa triste realidade: o partido traiu suas origens e a troco de se manter no poder, se aliou ao que mais de pidre há. Vendeu sua alma ao diabo.

      • Base Aliada
        Se o Executivo não tiver base suficiente, deve procurar, dentro das regras do jogo vigentes. Não há anjos no parlamento. As campanhas para Presidente levam junto uma maior dose de projeto para o Brasil. Já no congresso, ganha o poder econômico e as “bancadas” de grupos organizados. Com isso, o Executivo quase nunca obtém, de cara, o apoio necessário para governar. Temos o que merecemos.

  4. fome

    “Fernando Collor (PTB-AL) não arrecada para partido, mas para ele mesmo.”

    Fazer o que? O homem tem fome!

    Não consegue se virar apenas com o “bolsa família”.

    Empreendedor que é, aprendeu a pescar.

    Dar de beber para os tres animais de estimação: Ferrari, Porsche e Lamborghini, está pela hora da morte! 

     

  5. Eu acho…

     “‘sabe que o mesmo é rico de família e muito esbanjador’. “Sabe que “o negócio do Collor é dinheiro, ele não arrecada para partido, mas para ele mesmo”.”

    Tem um problema nessa afirmação. Nestor Cervero ‘sabe’ que é rico e ‘sabe’ que Collor “arrecada” para si. Isso é achismo. O Cervero acha que Collor é esbanjador e precisa de muito dinheiro. Ele pode até estar certo, mas onde estao as provas? Longe de mim fazer defesa de Fernando Collor, pode ser que ele seja tudo isso mesmo. Mas so na base do fulano acha, não da mais. Investigação, meus caros procuradores, investigação, sabem o que é isso?!

    Se não eu vou afirmar que eu Acho que o Cervero foi coagido em nome de sua liberdade a falar tudo o que a força-tarefa da Lava Jato quer ouvir. A denunciar todos os nomes que lhe são perguntados e isso não é Justiça. Muito pelo contrario.

     

    • meus elogios a maria luisa

      meus elogios a maria luisa por não se afastar da questao que eu acho fundamental.

      o fato de eu não gostar  do collor,  me leva imediatamente a criticá-lo.

      vontade de xingá-lo, até.

      aí desfoco de uma questão essencial que se discute há muiito tempo neste blog…

      a  questão da lava-jasto e de suas prováveis ilegalidades…

      ora, se alguém for julgar uma pessoa pelo que o cerveró falou aí,

      seria o fim de qualquer bom senso….

      ou ele tem uma prova objetiva ou cale a boca e o questionador dele, o investigador,

      pare de orientar a investigação, pare de fazer isso ou aquilo,

      porque esse mesmo achismo do cerveró pode ser praticado

      por qualquer um como eu que não sei nada das entranhas da operação lava-jato….

      eu acho que…

      e aí vai bomba! 

       

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome