EUA foi estopim para Operação Akuanduba, diz Bruno Salles

Advogado usa redes sociais para explicar operação que constrange Brasil no exterior; Molon pede abertura de CPI

Ricardo Salles, ministro do Meio Ambiente. Fotos: Carolina Antunes/PR

Jornal GGN – A operação da Polícia Federal que liga o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, a um esquema de contrabando de madeira, dando origem à Operação Akuanduba, só veio a público por conta da desconfiança norte-americana quanto a chegada dos produtos no porto de Savannah, na Geórgia.

O advogado criminalista Bruno Salles usou as redes sociais para contextualizar o caso, mostrando que o caso pode trazer muitos constrangimentos ao país – “Como ficará claro, a coisa é bem vergonhosa e deixa o próprio Brasil em uma situação constrangedora no mercado internacional”, pontua.

Segundo Salles, o Serviço de Pesca e Vida Selvagem dos Estados Unidos (FWS) deteve para inspeção 3 contêineres de madeira exportados do Brasil, e as cargas de ipê e jatobá – que são madeiras protegidas por lei – não foram inspecionadas pelo IBAMA, levando o FWS a solicitar informações à instituição brasileira.

“De repente, o FWS começou a receber cartas do Superintendente do IBAMA no Pará, na tentativa de liberação das cargas de madeira. Ou seja, rapidamente escalaram o assunto”, pontua Salles, citando inclusive o envolvimento do presidente do IBAMA, Eduardo Bim, no caso.

“Chegou a um ponto que a FWS claramente passou a desconfiar dessas movimentações do IBAMA e acabou enviando uma comunicação para a Embaixada do EUA, desconfiando de possíveis delitos de corrupção”, diz o advogado. “Segundo a representação policial, o Ministro do Meio Ambiente teria atuado diretamente para essas liberações e até promovido aqueles que ajudaram nesses esforços”. A thread em que Salles contextualiza o caso pode ser vista abaixo

Após a abertura da Operação Akuanduba, o deputado federal Alessandro Molon (PSB-RJ) veio a público anunciar que a Oposição vai reforçar a coleta de assinaturas para a instalação da CPI do Meio Ambiente, para apurar a atuação de Ricardo Salles e as denúncias envolvendo a pasta. Confira o vídeo abaixo

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome