Extremista Sara Giromini é denunciada pelo MPF por injúria e ameaça contra Moraes

procurador da República Frederick Lustosa diz que Sara Giromini usou as redes sociais para atingir a dignidade e o decoro do ministro, ameaçando com objetivo de constrangê-lo

Reprodução Twitter

Jornal GGN – O Ministério Público Federal (MPF) apresentou denúncia contra Sara Giromini, a extremista apoiadora de Jair Bolsonaro, por crimes de injúria e ameaça contra o ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes. A extremista, segundo a denúncia, delinquiu através em canal do YouTube e no Twitter. O caso será analisado pela Justiça Federal, que pode aceitar ou recusar a denúncia. Em caso de condenação, Sara Giromini deverá reparar o ministro com algo em torno de R$ 10 mil por danos morais, de acordo com o MPF.

O procurador da República Frederick Lustosa diz que Sara Giromini usou as redes sociais para atingir a dignidade e o decoro do ministro, ameaçando com objetivo de constrangê-lo, após busca e apreensão da PF determinada por ele, no âmbito do inquérito das fake News.

A moça xingou o ministro e foi mais longe: “Pois você me aguarde, Alexandre de Moraes, o senhor nunca mais vai ter paz na vida do senhor. A gente vai infernizar a tua vida. A gente vai descobrir os lugares que o senhor frequenta. A gente vai descobrir quem são as empregadas domésticas que trabalham pro senhor. A gente vai descobrir tudo da sua vida. Até o senhor pedir pra sair. Hoje o senhor tomou a pior decisão da vida do senhor”, disse no vídeo.

Mas o procurador arquivou representação de Moraes pedindo o enquadramento da extremista por atitudes que afrontam a Lei de Segurança Nacional. O procurador entende que a moça não impediu de fato o livre exercício da atividade de juiz do ministro nem do STF. Então, sua conduta, seria ameaça comum.

Ao mesmo tempo, Lustosa entendeu que a manifestação do tipo usado pela Ku Klux Klan, com tochas e capuzes, é liberdade de expressão. Entendeu ainda que existe ausência de requisitos jurídicos que justifiquem a prisão da extremista no caso em questão.

Os pedidos de prisão, da extremista e outros personagens da extrema-direita, se deu exatamente por indícios obtidos pelo MPF de que o grupo continua organizando e captando recursos financeiros para ações que se enquadram na Lei de Segurança Nacional. A investigação foi aberta em 20 de abril por Augusto Aras, procurador-geral da República, entendendo que tais manifestações, nos modelos apresentados, são uma afronta à democracia.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

4 comentários

  1. “Em caso de condenação, Sara Giromini deverá reparar o ministro com algo em torno de R$ 10 mil por danos morais, de acordo com o MPF.”
    É isso mesmo? SÓ isso mesmo? E se um maluco atiçado por estas imbecilidades resolvesse atirar no ministro?
    Isso nao é dano moral. Isso é incentivo ao homicidio de uma das mais altas figuras da República.

  2. Injuria e Ameaça, no restante do país, não dá nem Termo Circunstanciado. Não aparece nem o Delegado para assinar. Fica na mão de algum Escrivão e talvez um ‘puxão de orelhas’? – Não faça mais isto que é crime. Mas quando o caso é de alguém que é ‘mais igual que os outros’?!! Quando se ameaça as Elites e Feudos do Poder Judiciário?! ‘Sabe com quem tá falando’? Sabemos. Pobre país rico. 90 anos de Estado Ditatorial Caudilhista Absolutista Assassino Esquerdopata Fascista replicados por 4 décadas de Farsante Redemocracia da NecroPolítica. Ufa!! Ainda bem que no próximo mês tem Férias na Disney e depois Paris, não é mesmo Moraes?!! Mas de muito fácil explicação. CANHOTEIRO

  3. Só isso??? Depois de tudo que ela fez, faz e diretamente representa. Essa simples denúncia, é, por si só, um incentivo aos crimes que ela prega.
    Quero crer que não seja só essa denúncia…

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome