Fachin nega suspender cassação de Eduardo Cunha

 
Jornal GGN – Às vésperas da possível cassação de Eduardo Cunha (PMDB-RJ), o ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou um pedido feito por Cunha para suspender a votação da Câmara nesta segunda-feira (12). Na decisão, Fachin ainda pediu informações à Casa de todos os procedimentos adotados no processo do peemedebista.
 
Nas últimas estratégias para evitar a sua cassação, o deputado afastado ainda tenta esvaziar a sessão desta segunda, uma vez que a saída definitiva do parlamentar só ocorre se tiver votos de pelo menos 257 dos 511 deputados. Por isso, todas as ausências e as abstenções contarão a favor de Cunha.
 
Por outro lado, a votação é aberta, o que prejudica os planos de alcançar apoio de indecisos. Diante da mínima chance de não ser cassado, Cunha já promoveu seu discurso de que é vítima do PT e de seus aliados.
 
Isso porque, em entrevista na última sexta (09), à Folha de S. Paulo, Eduardo Cunha afirmou que sua cabeça será o “troféu” dos “defensores do PT”. “Isso é o que vai turbinar o PT para 2018”, atacou.
 
Ainda na entrevista, o peemedebista novamente pressionou seu colegas do Legislativo. Afirmou que os deputados precisam “julgar sabendo que amanhã serão julgados”. Cunha disse, ainda, que escreverá um livro sobre o impeachment e que Michel Temer se tornou refém do PSDB, podendo ser alvo da mesma crise de representatividade que derrubou o governo Dilma Rousseff.
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome