Genoino e Delúbio são condenados em desdobramento do mensalão

 
Jornal GGN – Em desdobramento do mensalão, o Tribunal Regional Federal da 1ª Região condenou o ex-deputado José Genoino (PT), o ex-tesoureiro Delúbio Soares e o publicitário Marcos Valério por falsidade ideológica e outras sete pessoas, acusadas de participar de fraudes em contratos do banco BMG para supostamente comprar votos de parlamentares.
 
O julgamento ocorreu nesta terça-feira (26), em Brasília. Em cerca de cinco horas, a decisão unânime da terceira turma do tribunal reduziu a pena imposta pela Justiça Federal de Minas para alguns dos acusados, mas manteve condenações de Genoino, Delúbio e Marcos Valério. 
 
Em 2012, o caso chegou à Justiça de primeira instância mineira e, como os processos do mensalão já se transformavam em denúncia no Supremo Tribunal Federal (STF), tramitou como um desdobramento. Investigava-se a assinatura de contratos fictícios pelo BMG com o PT e empresas ligadas a Marcos Valério. 
 
De acordo com a sentença da juíza Camila Franco Velano, a tentativa de “camuflar” o repasse de dinheiro ficou clara com as sucessivas renovações dos contratos, ainda que sem pagamentos.
 
Segundo a juíza, o banco não seguiu as regras do Banco Central e só iniciou execuções judiciais para cobrar as dívidas depois que o caso do mensalão ficou conhecido. Os executivos do BMG, Ricardo Annes Guimarães, Flávio Pentagna Guimarães, João Batista de Abreu e Marcio Alaor de Araújo, foram condenados por gestão fraudulenta. 
 
De acordo com o Conjur, Genoino teve a pena reduzida de 2 anos e 10 meses de prisão para 2 anos e 2 meses. Para a juíza de primeira instância, as condenações não repetem o julgamento da Ação Penal 470.
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora