Gilmar Mendes, de grandes pré-julgamentos e grandes silêncios, por Bob Fernandes

Enviado por basílio

Da TV Gazeta

Quinze anos de prisão para Vaccari, ex-tesoureiro do PT. Já são 41 os condenados pela Lava Jato. 
 
Quanto a esse escândalo, a Justiça funciona. Há escassez em relação a outros atores. 
 
E há notórios excessos; Gilmar Mendes, ministro do Supremo, segue pré-julgando. 
 
Acusa inclusive a OAB de “conspirar” em favor do PT. Como resposta levou bordoada da Ordem dos Advogados do Brasil nos seguintes termos:
 
-“Comportamento incompatível” com cargo… “intolerante”…”postura grosseira e arbitrária”… “ato grotesco”… “magistrado que não se fez digno do ofício…”. 

 
É conhecida a excelente formação jurídica do ministro. Assim como sua compulsão para antes de julgamentos, e publicamente, condenar adversários.
 
Gilmar condenou antes do julgamento do “mensalão”; o do PT: “quadrilha”, “gansgters”, “bandidos”. 
 
Agora pré-julga a “cleptocracia”, trata a OAB como “aparelho de partido” e ataca quem ouse discordar dos seus pré-julgamentos. 
 
Mas perceba-se: às vezes a crítica de Gilmar Mendes é branda, ou desconhecida, quando não inexistente. 
 
Gilmar foi subsecretario geral da Presidência e Consultor Jurídico no governo…Collor. 
 
A investigação Era Collor/PC levou a mais de 400 empresas e 100 grandes empresários indiciados pela Polícia Federal. Monumental a roubalheira. Além de PC Frias, nem um único preso.
 
O que diz o ministro Gilmar sobre aquele governo?… “Difícil comparar…tempos diferentes… hoje é mais grave”.
 
Hoje, ao contrário de então, ao menos um dos bandos está condenado e preso.
 
Gilmar Mendes foi Subchefe na Casa Civil e Advogado Geral da União no governo Fernando Henrique…
 
Tempos da compra de votos para a emenda da reeleição….da Privatização da Telebras, de célebres diálogos nos grampos do BNDES: 
 
-…vamos agir no limite da irresponsabilidade…consórcios borocoxôs…fazer os italianos na marra…usar a bomba atômica… 
 
Negócio de R$ 22 bilhões, aquele. A “Bomba Atômica” era o presidente Fernando Henrique…. Sem CPI. E nem um preso. 
 
Se conhece opinião de Gilmar Mendes sobre peripécias bilionárias daquele governo, hoje oposição? 
 
Por 17 meses, até a semana passada, Gilmar segurou julgamento das doações empresarias para campanhas eleitorais. Derrotado no Supremo disse: seu ato teve “a mão de Deus”. 
 
Alguém precisa informar a Gilmar Mendes: ministro do Supremo é poderosíssimo, mas não é O Ser Supremo. Não é Deus.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora