Impedimento de Moro para julgar Lula é “gritante”, diz defesa em novo recurso

Jornal GGN – A defesa do ex-presidente Lula protocolou um novo pedido para que o juiz Sergio Moro reconheça que é suspeito para julgar o petista no processo em que ele é acusado de receber vantagens indevidas da Odebrecht. Na peça, os advogados afirmam que a visita de Moro à Petrobras escancarou que o magistrado tomou partido na ação penal, já que a estatal é assistente de acusação. “O impedimento para o julgamento da causa é manifesto, gritante.”

No 4º Encontro de Compliance da Petrobras, realizado nesta semana sob protesto dos funcionários, Moro deu conselhos para a estatal combater a corrupção. Na visão da defesa de Lula, essas dicas foram dadas com base na vivência do juiz em meio à Lava Jato, o que configura uma postura “inadequada”.

“Não como negar a inadequação e impropriedade dessa conduta de aconselhamento, concedidas as vênias necessárias, a partir de considerações a respeito da Operação Lava Jato, tendo em vista, que o roa Excipiente está defendendo contra acusações de corrupção e lavagem de dinheiro de desvios nas contratações da Petrobras, que é assistente de acusação nesses feitos. Como se poderia aceitar tal e insólita ocorrência judiciária como normal?”, diz a peça.

Para a defesa, Moro demonstrou “absoluta certeza sobre a ausência na necessária isenção para julgamento da matéria. Ignorá-lo seria um acinte e uma desfaçatez contra o devido processo legal.

O pedido, na íntegra, está em anexo abaixo.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora