Inquérito contra Alckmin por propina da Odebrecht começa a andar no STJ

Foto: Agência Brasil
 
 
Jornal GGN – A jornalista Mônica Bergamo informou nesta sexta (15) que o inquérito contra Geraldo Alckmin (PSDB) passou a andar no STJ (Superior Tribunal de Justiça). “A ministra Nancy Andrighi autorizou os advogados de defesa do governador a terem acesso à papelada da investigação. E abriu prazo para o Ministério Público Federal voltar a se pronunciar”, publicou na Folha.
 
O Superior Tribunal de Justiça recebeu, no dia 22 de novembro, o pedido de instauração de inquérito contra o governador de São Paulo por suposto recebimento de propina da Odebrecht. O caso é mantido sob total sigilo, afirmou a jornalista.
 
A denúncia surgiu na Lava Jato após a delação de Odebrecht apontar que Alckmin recebeu propina em sua eleição, no valor total de R$ 10 milhões, duas vezes: em 2010 e 2014. Um cunhado do tucano teria sido responsável para recolher os recursos.

Como Alckmin tem foro privilegiado, foi necessária uma autorização do relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, ministro Edson Fachin, para que o pedido de investigação fosse enviado ao STJ. Lá, ele foi despachado para o gabinete da ministra Nancy Andrighi.

Na última semana de novembro, parlamentares do PT foram à Procuradoria-Geral da República reclamar da demora na investigação contra Alckmin. 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora