Janot é favorável à convocação de Lula pela PF como testemunha

Por Marcelo Brandão

Da Agência Brasil

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, encaminhou na sexta (25) ao Supremo Tribunal Federal (STF) parecer favorável à Polícia Federal (PF) para ouvir o ex-presidente Lula e integrantes do governo sobre fatos relativos às investigações da Operação Lava Jato. A decisão de autorizar ou não os depoimentos do ex-presidente e de sua equipe será do ministro Teori Zavascki, responsável pelo inquérito da Lava Jato.

“Assim, entendo necessária a continuação da investigação elencando diversas diligências, dentre as quais a oitiva de ex-integrantes do primeiro escalão do governo do presidente Luis Inácio Lula da Silva”, afirmou o procurador-geral.

No parecer, Janot destacou que aqueles que não são alvo de investigação da PF devem ser ouvidos na qualidade de testemunhas. Acrescentou que atualmente não há motivos que justifiquem aumentar o número de investigados na Lava Jato.

“Não há nada de objetivo, até o presente momento, que justifique uma ampliação perante o STF do escopo de pessoas investigadas. Isso não impede, entretanto, que as pessoas mencionadas pela Polícia Federal sejam ouvidas no presente inquérito, por ora, como testemunhas”.

Janot acrescentou que, caso a polícia entenda necessário aumentar o número de investigados, deve “apontar objetivamente o fato a ensejar a mudança do status”. O pedido  da PF para ouvir Lula e ex-ministros do seu governo, além de investigados vinculados ao PP, PMDB e PT, foi feito ao STF há duas semanas. O ministro Teori Zavascki submeteu o pedido ao parecer do procurador-geral.

Além de Lula, a PF pediu também autorização para ouvir os ex-minitros Ideli Salvatti (Secretaria de Relações Institucionais), Gilberto Carvalho (Secretaria-Geral da Presidência da República), José Dirceu (Casa Civil) e Mário Negromonte (Cidades), além do presidente do PT, Rui Falcão, e do ex-presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, entre outros.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

13 comentários

  1. Desculpe

    Não vi nas duas (ou três) frases atribuidas a Janot a expressa aprovação para a convocação de Lula afirmada no título do “post”.

    -Devo ter faltado a mais aulas de leitura e interpretação de texto do que devia!

    Mais: “PF pediu…?”  A PF não pede. Quem pede e assina o pedido é algum delegado, procurador ou outro membro qualquer da PF, que tem nome e cargo.

  2. janot e PFseletivos como sempre

    Já dos quinhentos quilos de coca dos amigos do golpista de Minas a PF perdeu o norte, pó senhores!

    Estão arrumando a casa para a casa grande espoliar o Brasil.

  3. Até o Papa pode ser ouvido no

    Até o Papa pode ser ouvido no famoso inquérito do Lava Jato. Aliás Lula esteve algumas vezes como o Papa e pode ter confidenciado fatos relativos.

    E o confessor do Lula (se o tem como católico que é). O Lula pode ter dito alguma coisa. O padre confessor pode – por “sentimento patriótico” – cometer o pecado da revelação do segredo confissional ou mesmo ser dispensado do segredo pela Igreja.

    “Quousque tamdem abure – PF, MPF, Moro e mídia – patientia nostra”

  4. Da lógica Casa Grande & Senzala do nosso sistema

    Da lógica Casa Grande & Senzala do nosso sistema midiático-penal…ao invés desse macartismo contra petistas, pelo menos para disfarçar um pouco, sera de bom alvitre o PSDB emprestar pelo FHC para subir ao cadafalso .,,.hmmm,..melhor esperarmoss sentados… para deleite das massas, petistas tem que serem açoitados diariamente em praça pública..,,mudou o que mesmo da época da escravidão prá cá.,,

     

     

  5. Tijolaço

    Janot negou pedido da PF para investigar Lula. O resto é “chover no molhado”

     

     

    A mistificação do noticiário é fantástica.

     

    Dizem as manchetes da noite que “Janot é favorável à convocação de Lula como testemunha” em uma das investigações da Lava Jato.

     

    Sobre o que era o parecer de Rodrigo Janot?

     

    O juiz Márcio Schiefler Fontes, auxiliar do o ministro Teori Zavascki nos processos da Lava-Jato, solicitou ao  Ele ao Ministério Público Federal  que se manifestasse “sobre a possibilidade de o ex-presidente passar a ser investigado em um dos inquéritos que tramitam no STF”.

    Janot negou essa possibilidade.

     

    É cristalina a negativa quando ele diz que “quanto aos novos nomes indicados pela autoridade policial (o de Lula entre eles) , não há nada de objetivo até o presente momento que justifique uma ampliação, perante o Supremo Tribunal Federal, do escopo das pessoas investigadas”. Objetivamente, ele nega o pedido

     

    A afirmação de que “isso não impede, entretanto, que as pessoas mencionadas pela Polícia Federal sejam ouvidas no presente inquérito, por ora, como testemunhas” é, como dizem os advogados, “lana caprina”, algo sem valor real.

    Por  que?

     

    Porque a autoridade policial (ou judicial) não tem de pedir licença a ninguém para ouvir alguém que não detenha foro privilegiado (e ex-presidente não detém)  como testemunha num inquérito, pelo simples entender que ela pode saber de fatos que interessem à investigação.

     

    Deveria, sim, pedir autorização ao próprio bom-senso para saber que o ex-presidente não dará, e nem poderia dar,  qualquer dado concreto sobre as operações de propinagem em negócios da Petrobras, porque é obvio que ele não participou – e ninguém disse o contrário –  dos negócios que se fez.

     

    Para dizer o mínimo, é absolutamente inócuo do ponto de vista da apuração dos fatos  – em tese, o objetivo da investigação policial – mas extremamente rentável do ângulo de quem a transforma em “marketing político”.

     

    Durante o período em que trabalhei com Brizola, ele depôs dezenas de vezes como testemunha. Quando era governador, e o testemunho era em processo judicial, usava a prerrogativa de escolher local e hora e o fez muitas vezes no próprio palácio.

     

    Nada demais e, na maioria das vezes, era arrolado como testemunha sem ter nenhum dado objetivo a informar.

     

    Mas quando se faz do procedimento investigatório – que não é o judicial, não permite o contraditório e nem mesmo o direito a não responder perguntas – um espetáculo, este só serve para mostrar que o investigador, afinal, é o suspeito.

     

    Infelizmente, porém, estamos vivendo um ambiente em que a ação do aparelho policial de Estado tornou-se político.

     

    Em outra ocasião, num quadro de normalidade, delegados que agissem assim seriam afastados, porque delegado não é juiz, inamovível.

     

    Mas fazem o que querem.

     

    O país está entregue à vontade distorcida dos meganhas.

     

    E tudo porque vivemos uma situação que era uma piada nos tempos da ditadura.

     

    Dizem que num evento  um diplomata brasileiro foi apresentado ao comandante da Marinha da Bolívia – e ela tem uma, uma pequena flotilha que patrulha o imenso lago Titicaca – e assustou-se: “Mas como é que vocês têm Marinha se não têm mar?”

     

    – Ora, mas vocês, no Brasil, não têm um Ministério da Justiça?

     

     

  6.  Estou lembrando de que o FHC

     Estou lembrando de que o FHC falou que nem precisava prender o Lula, bastaria chamá-lo para depor. Isso, segundo o ex-presidente tucano, já seria suficientemente humilhante a ponto, eu acrescento, de macular irremediavelmente sua imagem. Então,  pode ser esse o plano. O Lula vai depor e a imprensa faz o espetáculo, já devidamente programado. E se coincidir com a chegada do Pizzolato, vai ser a glória.

     Nessa história, tudo está bem definidinho.

  7. E o pobre do Dirceu não sai

    E o pobre do Dirceu não sai de cena. Quantas vezes mexam com parlamentares petistas o nome do ex-ministro Dirceu há d ser divulgado e chamado pra dizer o mesmo: que não tem o que declarar. 

    E se Lula, de fato, nada fez que o incrimine, deveria ser o primeiro a querer entrar nessa jogada, pra, de uma vez por todas, dizer o que pensa, o que sente, e como tem visto essa denúncias, que não estão sendo realizadas para icriminar ninguém, apenas para descontruí-lo, e tirar Dilma do cenário político atual. 

  8. QUEM NOMEOU O “JANOT”??? QUEM

    QUEM NOMEOU O “JANOT”??? QUEM NOMEU E MANTÉM O “ZÉ DA JUSTIÇA”???? QUE NOMEOU E MANTÉM O “PRÍNCIPE DA PULISTA”?????? ENQUANTO ELA, DILMA, NÃO VER O PRESIDENTE LULA ALGEMADO E SENDO COLOCADO NO CAMBURÃO DA “PF” TUCANA DO ZÉ, COM TRANSIMSSÃO PELA GLOBONEWS….ELA, DILMA, NÃO SOSSEGA!!!

  9. Há dois motivos principais

    Há dois motivos principais para a PF e Janot pedirem para ouvir o Lula. O primeiro é: vai que… o Lula fale algo, um motivo, por mínimo que seja, para que o Lula passe da condição de testemunha a investigado. Aí é a glória! 

    O segundo é: mesmo que não consigam uma besteirinha para o investigar, só deles conseguirem levar Lula a depor, com toda pompa e circunstância, com direito a todos os holofotes da mídia bandida voltados para cada passo do Lula desde sua chegada até sua saída, com direito a repercussão no exterior, só isto vai deixar a mídia bananeira, o judiciário  e  a galera golpistas em êxtase.

  10. Vou repetir: o golpe já foi concluído

    O Lulinha paz e amor está pagando por ter subestimado a direita raivosa. Ele nunca quis aprender com o Brizola como lidar com o PIG.

     

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome