Juiz suspende nomeação de presidente da Fundação Palmares

O juiz da 18ª Vara Federal do Ceará teria usado as publicações e declarações do mais novo chefe da Fundação Palmares para impedir que ele assuma o cargo

Foto: Reprodução

Jornal GGN – A Justiça Federal do Ceará suspendeu, nesta quarta-feira (04), a nomeação de Sérgio Camargo pelo presidente Jair Bolsonaro para presidir a Fundação Palmares. A informação foi divulgada pela coluna Radar, da Veja.

O juiz Emanuel José Matias Guerra, da 18ª Vara Federal do Ceará, acatou a ação popular contra a nomeação, suspendendo o ato do ministro da Casa Civil de Bolsonaro, Onyx Lorenzoni, que havia publicado a indicação em decreto.

De acordo com a coluna, o magistrado teria usado as publicações e declarações do mais novo chefe da Fundação Palmares para impedir que ele assuma o cargo, reproduzindo algumas delas:

“Se refere a Angela Davis como ‘comunista e mocreia assustadora’, em que diz nada ter a ver com ‘a África, seus costumes e religião’, que sugere medalha a ‘branco que meter um preto militante na cadeia por crime de racismo’, que diz que ‘é preciso que Marielle morra. Só assim ela deixará de encher o saco’, ou que entende que ‘Se você é africano e acha que o Brasil é racista, a porta da rua é serventia da casa’.”

Segundo o juiz, estes exemplos denotam que o nomeado para presidir a Fundação “tem o condão de ofender justamente o público que deve ser protegido pela entidade que ele preside”, o que sustentaria o impedimento da nomeação.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora