Laudo da PF comprova o que diz defesa de Lula

 
Jornal GGN – A grande mídia divulgou errado. O laudo da Polícia Federal que analisa o Sistema Drousys e Sistema MyWebDay, utilizado pela Odebrecht para gerenciamento de propinas, não estabeleceu qualquer vínculo entre uma planilha apresentada por ex-executivo da empresa em acordo de delação e o sítio de Atibaia frequentado por Lula e família, e de propriedade da família Bittar.
 
O laudo faz parte dos autos da Ação Penal nº 5021365-32.2017.4.04.7000/PR e diz, textualmente, “não foram encontradas, no contexto da Ação Penal, até a data da emissão deste laudo, nas pesquisas efetuadas no material examinado (Sistema Drousys e Sistema MyWebDay), documentos ou lançamentos que façam referência a termos tais como ATIBAIA, SÍTIO e SANTA BÁRBARA” (p. 61).

 
O mesmo laudo pericial, no entanto, fez referências sem cabimento, a recursos provenientes de contratos da Petrobras, como forma de contornar os critérios legais de competência definidas em decisão recente proferida pelo Supremo Tribunal Federal entre esta ação penal e os recursos provenientes da Petrobras, para, sem base concreta, seguindo o modelo inaugurado pela denúncia.
 
A acusação reportou sete contratos específicos da Petrobras, e nenhum deles estava noescopo da análise que consta do laudo pericial. Assim, conforme a defesa vem demonstrando, nenhum valor desses contratosfoi destinado ao ex-Presidente Lula, mas buscam criar a imagem de um ‘caixa geral’ com recursos da estatal valendo-se de retórica como forma de atacar as provas da defesa.
 
O laudo pericial, segundo entende a defesa, ‘buscou criar uma nova fórmula em branco para a escolha da jurisdição de acordo com a conveniência dos agentes envolvidos, o que colide com a garantia constitucional do juiz natural’. E essa tentativa é mais uma manobra inaceitável.
 
Leia a nota na íntegra
 
Laudo da PF afasta relação de planilha de delator com sítio de Atibaia frequentado por Lula
 
Ao contrário foi que foi divulgado por alguns veículos de comunicação, o laudo apresentado na data de hoje (16/05) pela Polícia Federal nos autos da Ação Penal nº 5021365-32.2017.4.04.7000/PR não estabeleceu qualquer vínculo entre uma planilha apresentada por ex-executivo da Odebrecht e o sítio de Atibaia (Sítio Santa Bárbara) frequentado pela família do ex-presidente Lula, de propriedade da família Bittar.
 
Diz o laudo pericial textualmente: “Não foram encontradas, no contexto da Ação Penal, até a data da emissão deste laudo, nas pesquisas efetuadas no material examinado (Sistema Drousys e Sistema MyWebDay), documentos ou lançamentos que façam referência a termos tais como ATIBAIA, SÍTIO e SANTA BÁRBARA” (p. 61).
 
Por outro lado, o mesmo laudo pericial, com o claro objetivo de ofuscar recente decisão proferida pelo Supremo Tribunal Federal que afastou qualquer vínculo entre elementos anexados a essa ação penal e a competência da Justiça Federal de Curitiba (Pet. 6780/STF), fez descabidas referências a recursos provenientes de contratos da Petrobras. 
 
Busca-se com isso, uma vez mais, contornar os critérios legais de competência por meras referências, sem qualquer base concreta, a valores provenientes da Petrobras, exatamente como fez a denúncia. 
 
A acusação se reportou a 7 contratos específicos da Petrobras. Como a defesa demonstrou que nenhum valor desses contratos foi destinado ao ex-Presidente Lula, agora busca-se criar um “caixa geral” com recursos da Petrobras com base em mera retórica como antídoto à prova da defesa. 
 
O laudo pericial, nessa perspectiva, buscou criar uma nova fórmula em branco para a escolha da jurisdição de acordo com a conveniência dos agentes envolvidos, o que colide com a garantia constitucional do juiz natural (CF/88, art. 5º, LIII) e por isso é inaceitável.
 
A planilha apresentada pelo delator se refere expressamente a obras realizadas no projeto Aquapolo, realizado na SABESP, ligada ao Governo do Estado de São Paulo — sem qualquer relação com Petrobras e muito menos com Lula. O laudo pericial, estranhamente, silenciou a respeito desse relevante fato.  
 
Lula jamais solicitou ou recebeu qualquer vantagem indevida da Odebrecht ou de qualquer outra empresa.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

6 comentários

  1. Novela sem fim

    Vai vencendo pelo cansaço, o “réu”, o inocente, ter que provar a sua inocência, e não o contrário.

    Somos patos, sabiam. 

    Enquanto isso mofa na solitária o maior líder popular do planeta. Um conciliador, um homem que só fez pela paz e pela justiça.

    shame

  2. A maçonaria executou o golpe
    A maçonaria executou o golpe no Brasil: Moro maçom grau 33 (o mais alto da maçonaria) e dono da lava jato, Ministro Félix Fischer relator da Lava Jato no STJ também é maçom (https://jornalggn.com.br/no… Edson Fachini relator da lava jato no STF é maçom (Loja Luzes da Fraternidade), todos maçons do Paraná. Nas gerências da Petrobras existem lojas maçônicas. O TJ do Rio é dominado por maçons comandados por Zveiter, judeu maçom grão mestre e presidente do TJ, logo depois de ser nomeado desembargador sem nunca ter feito um concurso publico, tudo com a jeitinho de ajuda da maçonaria.
    A cadeia da lava jato é maçônica.

  3. Sejamos Realistas

    Nassif: isso de que o ex-presidente “nunca pediu ou recebeu qualquer vantagem” de quem quer que seja, antes durante e depois dos seus mandatos é pura bobagem.

    Vamos ao cerne da questão, que se limita (se é que contém limite ou decência) em denegrir covarde e impiedosamente a imagem política e social do Meliante Nove Dedos (versão Judiciário-PSDB+DEM+PPS). Nisso tem se empenhado de corpo e alma a maioria dos Gogoboy e dos Vedugos sulistas.

    A indústria da Delação, por exemplo, está a todo vapor. Faz tempo. Tem até deles aplicando no Minha Casa Minha Vida. Outros, em Berverly Hills e Miami. Lembra da dona Cata Preta? Não foi só o DedoDuro do PTB e o Morcegão que beliscaram no pedaço.

    E você sabe que o Verdugo Mor da XIII Vara de Suplicação não esta obrigado a considerar nenhuma das afirmativa do inquérito ou de experts. Especialmente se esta puder beneficiar o Operário-Nordestino (versão Elite-FIESP). A filosofia já foi explicada por aquela ministra que “condenava” porque a Lei lhe permitia.

    Com Tiradentes foi assim, esquartejaram o corpo e sairam esparramanto os pedaços por quantos caminhos puderam. É pra Povalha sentir o que pode ser feito contra ela, quando se desafia os corruptos e ladrões abrigados à sombra das armas das fardas. Você acha que desta vez os milicos vão deixar por menos? E continuando esses índices de pesquisas você acredita que vai haver eleição? Só se as maquinetas coletoras de votos forem “benzidas” pelo Príncipe de Paris  pelos do Jardim Botânico.

    Seja na Praia Vermelha, seja na República do Galeão, seja nos porões da Ilha Fiscal, o pensamento daqueles de altíssima patente é a mesma — proteger seus amigos políticos  e empresários.

    Por isso que digo ser muito barulho pra nada. O Sapo Barbudo (versão caserna) deu mole prós safados e agora a Nação inteira paga, impiedosamente, vendo ser lapidado os cofres públicos e os bens da Pátria. Verdadeiro crime de Lesa Pátria.

    Mas isto “não vem ao caso”…

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome