Lava Jato “não pode se financiar à margem da legalidade”, diz Moraes

“Da mesma maneira que a Instituição não pode se financiar à margem da legalidade, seus membros não podem receber valores não estipulados pela legislação", disse o ministro, da decisão que transfere recursos do fundo à Amazônia

Jornal GGN – Na decisão que autorizou o uso do dinheiro do fundo criado pela Lava Jato à Amazônia, o ministro Alexandre de Moraes disse que a força-tarefa “não pode se financiar à margem da legalidade”.

“Da mesma maneira que a Instituição não pode se financiar à margem da legalidade, seus membros não podem receber valores não estipulados pela legislação, para gerenciamento direto ou por meio de Fundação de direito privado”, disse o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), em crítica direta aos procuradores da Lava Jato.

A declaração consta na decisão tomada nesta terça-feira (17), de repassar R$ 2,6 bilhões do fundo criado pela Lava Jato, para a criação de uma fundação pelos procuradores da força-tarefa de Curitiba, a investimentos do governo federal na Amazônia e na Educação.

Trata-se de um acordo fechado entre o governo, o STF e a Procuradoria-Geral da República (PGR), que estabeleceu no início deste mês a divisão deste fundo e para onde seria destinado o montante. Originalmente, os recursos seriam destinados a uma fundação que teria entre os seus membros os próprios procuradores da força-tarefa.

“A eventual apropriação, por determinados membros do Ministério Público, da administração e destinação de proveito econômico resultante da atuação do órgão, além de desrespeitar os princípios da legalidade, da impessoalidade e da moralidade administrativa, implicou séria agressão ao perfil constitucional fortalecido da Instituição, atribuído de maneira inédita e especial pela Constituição Federal de 1988, ao prever sua autonomia funcional, administrativa e financeira, retirando-lhe atribuições próprias do Poder Executivo”, escreveu Moraes.

Leia a decisão na íntegra:

ADPF-568

 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

9 comentários

  1. Ué, tá olhando o que, com essa cara desconfiada aí? Moro não sabia que seria ministro quando impediu Lula de se candidatar e Dallagnol não tinha a menor ideia de que os EUA devolveriam algum dinheiro da multa que ele ajudou os EUA a aplicarem sobre a Petrobras. Isso é verdade, viu?

  2. Ué, tá olhando o que, com essa cara desconfiada aí? Moro não sabia que seria ministro quando impediu Lula de se candidatar e Dallagnol não tinha a menor ideia de que os EUA devolveriam algum dinheiro da multa que ele ajudou os EUA a aplicarem sobre a Petrobras. Isso é verdade, viu?

    E Moraes deu uma bronca, tá? Pronto, não se fala mais no assunto.

  3. o verdadeiro Jornalista q detonou a lava jato foi Luis Nassif, ao apontar a essa excrescência do fundo partidário de Cuditiba. e, a dita “grande imprensa”, com todo o aparato de que dispõe, não deu-lhe o merecido crédito… foram humilhados!

    Grande Nassif!

  4. Numa democracia plena, a magistrada vazajatista Gabriela Hart seria severamente punida por participar dessa quadrilha de criminosos que queria se apoderar da tal fortuna.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome