Lula: Lava Jato não deve ser completamente anulada, mas STF deve ter seriedade

“Eu não vou ficar analisando comportamento da Suprema Corte. A única coisa que eu peço é o seguinte, eu tenho vários processos, as pessoas têm que condenar um ser humano com base nas provas”

Foto: Ricardo Stuckert

Jornal GGN – Consciente de que a tarefa para a sua liberdade não será fácil e simples, o ex-presidente Lula acompanha atento aos movimentos do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre as cada dia mais comprovadas ilegalidades da Operação Lava Jato nas conduções dos processos. E, apesar de aos poucos a Corte confrontar as sentenças do então ex-juiz Sergio Moro e dos procuradores de Curitiba, Lula não se precipita a arriscar sua liberdade.

Todas as entrevistas concedidas pelo ex-presidente, até agora, foram homogêneas ao tratar de seu desejo de sair da Superintendência da Policia Federal, em Curitiba, com a inocência que garante nos mais de 500 dias que permanece preso. Nesta quarta-feira (28), em uma nova entrevista à BBC News, Lula voltou a enfatizar: “Se você não tiver prova, o ser humano é inocente. Eu tenho provado a minha inocência desde o primeiro processo.”

E é com base nessa linha de raciocínio e também por ter consciência do impacto que seria desmantelar a Lava Jato por completo, diante dos erros cometidos por Sergio Moro e pelos procuradores de Curitiba, que o ex-presidente apresentou um outro ponto de vista: a de que a Operação não deve ser totalmente anulada.

“Eu acho que a operação Lava Jato tem coisas que foram verdade, tem pessoa que confessou. Se o cara confessou que roubou, o cara é ladrão”, afirmou. E negando que os recentes movimentos da Suprema Corte possam alimentar falsas expectativas em seu caso, o líder petista apenas cobrou que os ministros precisam mostrar “seriedade”.

Comentando: “Eu não vou ficar analisando comportamento da Suprema Corte. A única coisa que eu peço é o seguinte, eu tenho vários processos, as pessoas têm que condenar um ser humano com base nas provas”.

“A Suprema Corte precisa dar um freio de arrumação na casa, porque houve um momento em que o Moro, o Dallagnol e mais a equipe da força-tarefa pensavam que eram donos do Brasil. Eles ameaçaram a Suprema Corte, eles ameaçaram o nosso ministro da Suprema Corte (Teori Zavascki) que morreu, eles ameaçaram o (ministro do STF Edson) Fachin, eles ameaçaram a Câmara, eles ameaçaram o Senado, eles ameaçaram a Presidência. Eles qualquer coisa ameaçavam fazer greve de fome. Eles se acharam donos do mundo”, defendeu.

Ao ser questionado se acredita que a Lava Jato deve ser derrubada, opinou: “O que eu acho que a Suprema Corte tem que fazer? Tem que se debruçar sobre o processo (os casos da Lava Jato), tudo que foi certo, tudo que foi julgado corretamente, que houve investigação, que houve apuração e que provou que cometeu crime, tem que condenar. Agora, tudo aquilo que a Suprema Corte analisar e descobrir que houve falha (no processo), que a pessoa é inocente, que a pessoa foi acusada equivocadamente, tem que absolver. É só isso”.

“Se esse Luiz Inácio Lula da Silva, depois de todas as provas for inocente, humildemente, tem que ser inocentado. E é isso que eu espero deles”, completou.

A entrevista completa concedida ontem à BBC Brasil e à BBC News está disponível aqui.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

5 comentários

  1. Sensato e lúcido!
    Há erros de vários níveis!
    Há erros contra a Petrobras!
    Há erros onde as empresas e seus empregados foram punidos!
    Há erros de condutas de procuradores, juízes e até desembargadores!
    Há erros contra o Brasil!
    Mas, há roubo e corrupção verdadeiros!
    Para os erros do judiciário, precisamos sim é mais justiça!
    Muito mais justiça!

  2. Correto o Lula. A corrupção, que é tema sério no Brasil, deve ser combatida, mas de forma correta, dentro da lei e sem perseguição política. Não se constrói uma República com os olhos voltados para o bezerro de ouro. A corrupção não é apanágio do Estado. Quem ainda lembra do Panamá Papers?

  3. Sem dúvida nenhuma a melhor entrevista do presidente Lula no cárcere golpista de Curitiba.
    Parabéns a entrevistadora que soube fustiga à vontade o presidente Lula que,assim,fica cada vez melhor.
    Isto é jornalismo !

  4. Quem fala o que LULA falou, não é culpado das acusações que lhe imputam. Quem age como ele agiu, não fugindo do País, não se recusando a prestar depoimentos, tentando de todas as formas possíveis mostrar que estava sendo acusado injustamente, não tem culpa no cartório. Resta aos nossos tribunais superiores sairem da armadilha em que se meteram, ou em que foram metidos. Voltar a aplicar as leis e a Constituição Federal sem viés político ou para atendimento de opinião pública direcionada. Retomar as rédeas da aplicação da justiça. Retomar o estado de direito em nosso País, que não fora a patifaria que fizeram (GOLPE) e prisão de inocentes, estaria numa posição muito melhor que atual no cenário mundial, e sua população, especialmente os menos favorecidos, não estaria sofrendo as agruras que voltou a sofrer.

    • Seguindo sua lógica, Cunha, Cabral, Eike tbm são inocentes, pq não fugiram! A verdade é que Lula achou que sairia da cadeia em no máximo 1 ou 2 semanas! Tipo o Temer!

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome