Marcelo Odebrecht deixa prisão e Funaro também aguarda o regime domiciliar

Foto: Agência Brasil

Jornal GGN – Após implicar Lula e outros políticos na Lava Jato, Marcelo Odebrecht deixou a prisão no Paraná, nesta terça (19). Segundo relatos da Folha, ele passou por uma audiência judicial às 11h, para obter orientações sobre as regras da prisão domiliciar. Ele ficou preso em Curitiba por 2 anos e meio, e permanecerá o mesmo período em casa, usando tornozeleita eletrônica. A princípio, seu contato está limitado a 15 pessoas que estão numa lista sigilosa.
 
O advogado Nabor Bulhões, defensor de Marcelo Odebrecht, disse à imprensa que o empresário decidiu colaborar como “opção existencial”, e “se preocupou basicamente com duas coisas: com a progressão de regime, para voltar ao convívio familiar, e em tornar efetiva a sua colaboração”, disse Bulhões.
 
Já o operador do PMDB Lúcio Funaro também está na expectativa de voltar para casa. “O juiz Vallisney de Souza Oliveira, responsável pela Lava Jato em Brasília, deve assinar nesta terça (19) a decisão sobre a prisão domiciliar do doleiro, que está detido na capital federal”, apontou a jornalista Mônica Bergamo.
 
“A assinatura se dará em cima do laço: nesta semana começa o recesso do Judiciário. Funaro precisa do aval de Vallisney para começar a cumprir a domiciliar no dia 30 de dezembro, quando se completa o período de regime fechado que ele se comprometeu a cumprir no acordo de delação premiada que fez com o Ministério Público Federal”, acrescentou.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora