Marcelo Odebrecht disponibilizou R$ 50 milhões para Cunha enfrentar Dilma

Jornal GGN – O ex-presidente da Odebrecht Energia Henrique Valladares disse à Lava Jato que Marcelo Odebrecht, presidente do grupo, colocou R$ 50 milhões em propina à disposição de Eduardo Cunha, para que o então deputado evitasse que Dilma Rousseff interferisse em negócios de Furnas.

Segundo reportagem do Valor, Cunha recebeu vantagens indevidas da Odebrecht para atuar em favor do grupo e de Furnas no completo hidrelétrico do Rio Madeira. Dilma, à época na Casa Civil, era contra a entrada de Furnas em Jirau, disse Valladares.

“Doutor Marcelo [Odebrecht] me deu o número de R$ 50 milhões para eu colocar na mesa como oferecimento ao doutor deputado Eduardo Cunha para que ele, com esse dinheiro, buscasse o apoio político a critério dele, buscasse distribuir de tal forma que obtivesse o apoio político necessário para neutralizar esta ação, principalmente da Casa Civil”, disse. 

“[Nas reuniões com Eduardo Cunha] tratávamos de todos os assuntos. Eram republicanos. Nunca paguei ao doutor Eduardo Cunha nenhum centavo por nenhum outro contrato que não fosse isso que nós estamos tratando […] O pagamento foi feito para obter o empenho dele no interesse que era comum entre Odebrecht e Furnas”, acrescentou o delator. 

Valladares também afirmou à Lava Jato, em seu acordo de delação premiada, que a CUT (Central Única dos Trabalhadores) recebeu propina para não apoiar greve de trabalhadores na usina.

Leia mais aqui.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

10 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Josias

- 2017-04-17 12:50:18

O IMPEDIMENTO FOI COMPRADO?

Com esta quantia de dinheiro (cinquenta milhões) dá para perceber que de fato o impedimento da Presidenta Dilma foi uma farsa, um circo. Não esqueço dos senhores deputados e senadores eufóricos e com seus discursinhos fajutos na hora do voto. Naquele momento, eu que não sou investigador, desconfiei que alí rolava a distribuição de muita grana. Se a justiça é para todos, por favor, que o fato que gerou minha desconfiança seja efetivamente apurado.

andre rs t

- 2017-04-17 00:20:37

Familia mafiosa. E tem gente

Familia mafiosa. E tem gente que se diz trabalhista acreditando na delações dests senhores

Professor da UNB} coloca os Odebrecht em seus devidos lugares

http://www.diariodocentrodomundo.com.br/se-e-para-se-decepcionar-com-lula-que-nao-seja-pelo-depoimento-de-emilio-odebrecht-diz-professor-da-unb/

Marcos Antônio

- 2017-04-16 23:12:23

A rede globo quer ver o circo

A rede globo quer ver o circo pegar fogo, não há nomes que possam trazer a credibilidade que os golpistas precisam.

Ela quer que isso termine em ditadura!

De ditadura ela conhece!

Democracia é muito complicado, tem muitas vontades independentes!

Renato Lazzari

- 2017-04-16 23:05:55

Ué... mas desde quando a Lava

Ué... mas desde quando a Lava Jato é para acabar com a corrupção? Nem para punir corruptos e corruptores ela é. Prova disso é a diferença de tratamento dispensado a Cunha e a Lula, a Marcelo Odebrecht e a Eike batista, à cunhada do João Vaccari e à irmã do Aécio (ou à esposa do Cunha)...

A Lava Jato é para colocar no poder aqueles que perderam nas urnas, ué. É um dos braços do golpe de estado. Por isso se diz que o golpe é parlamentar-jurídico-midiático. E acima do palamento, da justiça e da mídia, o poder econômico, o capital. A Lava Jato é, enfim, o jeito que o capital achou para reconcentrar poder econômico e político em si mesmo. E não adianta reclamar: enquanto o capital der as cartas na política vai haver corrupção. E operações como a Lava Jato.

Fabio !

- 2017-04-16 22:31:59

Dinheiro a rodo

Nossa !

Da CUT à FIESP , de Cunha a Pastor Everaldo. Esses caras distribuiam dinheiro a RODO .

E como disse Eliana Calmon : ainda não se chegou às delações contra o  Judiciário . 

Bons tempos em que se dizia que era o HD de Daniel Dantas que traria a República a baixo . 

Allan Patrick

- 2017-04-16 21:06:04

Nota da CUT

Nota da CUT sobre estranha delação a dirigente

A CUT não pode responder sobre acusações genéricas que não citam sequer os nomes dos supostamente envolvidos em propinas

A CUT repudia e estranha a delação a dirigentes da Central que não cita sequer nomes de quem supostamente teria recebido propina da Odebrecht para impedir ações sindicais para reivindicar melhoria em condições de trabalho e renda em Rondônia.

Primeiro, porque são os sindicatos que negociam acordos, organizam as lutas e as greves, não a Central – a CUT Rondônia apoiou política e logisticamente todas as lutas dos trabalhadores da construção civil do Estado; a CUT nacional ajudou a negociar os acordos conquistados pelo Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil de Rondônia.

Segundo, porque a delação não diz o nome do denunciado nem em que período houve a suposta negociação do pedido de propina.

Ė preciso esclarecer que, até março de 2010, o Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil de Rondônia era filiado à outra central sindical, portanto, a data é fundamental para esclarecer os fatos. Após o Sindicato se filiar à CUT, foram realizadas em Rondônia as greves mais duras da história, com resultados extremamente positivos para os trabalhadores.

Todos os acordos foram fechados com reajustes muito acima da inflação – com os maiores índices negociados no país pela categoria -, com enorme aumento nos valores dos tíquetes refeição, entre outras conquistas. É importante ressaltar que as greves sempre são encerradas com assembleias onde o trabalhador vota se aceita ou não o acordo construído e conquistado.

E mais: uma das grandes conquistas das greves em Rondônia foi a deflagração de uma negociação tripartite nacional que culminou com a assinatura do Compromisso Nacional de Melhoria das condições de trabalho na construção civil.

A CUT não pode responder sobre acusações genéricas que não citam sequer os nomes dos supostamente envolvidos em propinas, nem sequer a data em que ocorreram, até mesmo porque protagonizou com sindicatos filiados uma das maiores lutas do setor em todo o país.

Esclarecidos os fatos fica clara a intenção da TV Globo de tentar desqualificar a maior e mais combativa central sindical do país.

O JN ignorou a nota da CUT e deixou no ar a acusação porque a nota deixa claro que a acusação é absurda. Prova disso são as conquistas dos trabalhadores após as greves.

Ivan de Union

- 2017-04-16 20:33:56

OH?  O mesmo Marcelo

OH?  O mesmo Marcelo Odebrecht que esta preso por corrupcao de politicos?!?!?!?

O mundo deu voltas e torceu o pescocinho dele em 90 degraus ou 180????

Schell

- 2017-04-16 20:06:13

Desde o início, vê-se o mesmo

Desde o início, vê-se o mesmo esquema criminoso do odebrechet que, agora, para se safar da cadeia, tenta "empurrar" para os governos do PT as suas maldades associadas aos temeristas-GOLPISTA e acunhados. Sob o silêncio e a subserviência da dita "grande mérdia", do atual GOLPISTA-executivo-acumpliciado e, pior, do (in)judiciário de meia-pataca. Razão tem a dona Calmon: falta muita gente nessa mixórdia. Houvesse cnj (ainda, dona Carmencita?)...

emerson57

- 2017-04-16 19:59:04

extinção

Houve um tempo neste pais em que brasileiros da raça kunha eram milhões. Hoje os coitadinhos entraram em extinção. O único exemplar que restou vivo está numa gaiola em Curitiba.

Rei

- 2017-04-16 19:52:03

Título 100% manipulativo do Valor: "combater posição contrária"?

ESSA NOTÍCIA É UMA BOMBA!!! E O VALOR CONSEGUIU DISTORCER AO MÁXIMO QUE DEU!!!

O CURIOSO TÍTULO DA MANCHETE DO VALOR: "Propina no Jirau visou combater posição contrária de Dilma"

"COMBATER A POSIÇÃO CONTRÁRIA DE DILMA"??? DÁ A ENTENDER QUE A PROPINA FOI PARA COMBATER QUEM ESTAVA CONTRA DILMA... MUITO ESTRANHO ESSE JOGO DE PALAVRAS... A MANCHETE DEIXA DÚVIDAS EXATAMENTE ONDE NÃO DEVIA... ESSA É A HILÁRIA IMPRENSA BRASILEIRA!

COMPRARAM O IMPEACHMENT??? MORO NÃO VAI PERGUNTAR SOBRE ESSA HIPÓTESE AOS DELATORES???

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador