Marco Aurélio libera voto para julgar suspeição de Moro no STF

O julgamento sobre a suspeição do ex-juiz Sergio Moro poderá ser retomado no Supremo, aonde já se formou maioria pela manutenção do julgamento da 2ª Turma, que considerou Moro parcial

Foto: SCO/STF

Jornal GGN – O julgamento sobre a suspeição do ex-juiz Sergio Moro poderá ser retomado no Supremo Tribunal Federal (STF). Paralisado por um pedido de vista do ministro Marco Aurélio Mello, o decano do Supremo anunciou que concluiu seu voto, que será proferido na sessão.

Na semana passada, a Corte encerrou a sessão com o placar de 7 x 2, de que a incompetência da Vara Federal de Curitiba não interfere na suspeição do ex-juiz Sergio Moro, mantendo, assim, a decisão da Segunda Turma da Corte que o considerou parcial para julgar o ex-presidente Lula.

Apesar de já ter formado maioria, o voto de 2 ministros ainda precisam ser proferidos. Além de Marco Aurélio, falta votar o presidente do STF, ministro Luiz Fux. Também caberá à Fux decidir a data da retomada do julgamento.

Os ministros Kassio Nunes, Alexandre de Moraes, Ricardo Lewandowski, Dias Toffoli, Cármen Lúcia e Rosa Weber acompanharam o voto divergente do ministro Gilmar Mendes, votando pela manutenção do julgamento da 2ª Turma, que decidiu a favor da defesa de Lula e Moro suspeito.

Já o ministro Luis Roberto Barroso votou a favor do relator, Edson Fachin, que quer anular aquele julgamento da 2ª Turma. Ainda que o presidente do STF, Luiz Fux, e o decano Marco Aurélio votem a favor do relator, sete ministros já discordaram, formando a maioria e mantendo a condenação de suspeição contra Sergio Moro.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora