Ministro do STJ nega liminar para suspender julgamento do caso triplex

Jornal GGN – O ministro Felix Fischer, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), negou na quarta (8) um pedido de medida liminar para que o julgamento do caso triplex seja suspenso imediatamente sob o pretexto de que Sergio Moro é parcial e injusto com o ex-presidente Lula. Segundo informações do Estadão, o mérito do pedido da defesa de Lula ainda será julgado por outros ministros do STJ, sem data definida.


No pedido, os advogados listam uma série de arbitrariedades cometidas por Moro durante a instrução do caso triplex – desde a condução coercitiva midiática de Lula ao vazamento de áudio envolvendo Dilma Rousseff – para atestar a faltar de discernimento do magistrado.

Parte das arbitrariedades foram levadas à Comissão de Direitos Humanos da ONU (Organização das Nações Unidas), onde a suspeição de Moro e da força-tarefa da Lava Jato também está em xeque.

No STJ, a defesa fez questão de rebater as críticas de que Lula, na verdade, tenta fugir das mãos de Moro ao recorrer a uma segunda instância.

“O paciente (Lula) figura como réu em processos distribuídos a outros magistrados – e confia na isenção destes últimos para julgar tais causas. Nenhum deles praticou contra o paciente qualquer das violações ou fatos descritos nestes autos, apenas a autoridade coautora (Sérgio Moro). Tal situação reforça, portanto, que o paciente não tem receio de ser investigado ou julgado. Apenas deseja exercer seu direito de ser julgado por um juiz imparcial”, alegam os advogados de Lula.

Ainda de acordo com o petista, Moro não apenas “nutre sentimentos ruins” em relação a Lula, como o tem como um “inimigo”.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora