Moro é “entendido” de “propaganda política” para o PSDB, diz equipe de Lula

Jornal GGN – A equipe do ex-presidente Lula decidiu não deixar barato a discussão entre o juiz Sergio Moro e o advogado Cristiano Zanin, durante uma audiência do caso triplex que tinha como testemunha o ministro da fazenda e ex-presidente do Banco Central Henrique Meirelles.

Durante a oitiva, Moro impediu Zanin de perguntar a Meirelles se Lula fez bem ao País ou se focou em corrupção para perpetuar o PT no poder. A justificativa é que, além de a testemunha não ter autorização para dar opinião pessoal em juízo, Zanin parecia estar fazendo “propaganda política do antigo governo.”

Horas depois, a equipe de comunicação de Lula publicou fotos de Moro em eventos bancados por figuras graúdas do PSDB e de grandes meios de comunicação em homenagem a Michel Temer, e destacou que era curioso Moro criticar Zanin por fazer “propaganda política” quando, o magistrado, “parecer ser muito entendido em se tratando de propaganda política” para tucanos. “As imagens não deixam dúvidas”, disparou.

Ainda de acordo com a assessoria de Lula, “as perguntas [de Zanin sobre o governo Lula] fazem todo sentido, afinal, o Ministério Público, usando sua grande habilidade em fazer Power Points, acusou o ex-presidente de se aproveitar do cargo para obter benefícios pessoais.”

Durante a audiência, Zanin rebateu Moro denotando o uso de dois pesos, duas medidas pelo magistrado. Quando o próprio Moro ou o Ministério Público fazem perguntas querendo saber a opinião da testemunha, e não seu conhecimento restrito sobre fatos, a defesa costuma protestar em vão.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora