MP do Rio tem imagens de transações suspeitas de Queiroz

Órgão foi temporariamente suspenso pelo ministro Fux de continuar investigações sobre Flávio Bolsonaro e ex-assessor 
 
Queiroz e esposa dançam no quarto de hospital. Imagem: Reprodução
 
Jornal GGN – Segundo informações da coluna Painel, da Folha de S.Paulo, o Ministério Público do Rio de Janeiro recebeu imagens registradas por caixas eletrônicos onde o policial militar aposentado e ex-assessor de Flávio Bolsonaro, Fabrício Queiroz, fez depósitos em dinheiro. 
 
O MP-RJ foi temporariamente suspenso de dar continuidade nas investigações, após decisão do ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal, atendendo um pedido de Flávio. O filho do presidente, alega que há ilegalidade na instauração do procedimento investigatório, como a quebra de sigilo bancário e, ainda, que o Ministério Público do Estado usurpou a competência do STF para analisar o caso, colocando para si o direito de foro privilegiado.
 
Após o recesso do Judiciário, que termina no primeiro dia de fevereiro, o caso será retomado pelo ministro e relator Marco Aurélio Mello
 
Um relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), usado como base nas investigações do MP-RJ, mostrou que pelo menos oito servidores da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), que trabalhavam para o gabinete de Flávio, quando deputado estadual, fizeram transferências bancárias para em contas mantidas por Queiroz. 
 
Entre 2014 e 2017, o ex-motorista e PM, movimentou R$ 7 milhões em suas contas bancárias. O relatório mostrou, ainda, que o primogênito do presidente recebeu 48 depósitos fracionados no valor de R$ 2 mil totalizando R$ 96 mil em um mês. Além disso, apontou que Fabrício Queiroz fez um depósito de R$ 24 mil na conta da primeira-dama, Michelle Bolsonaro. 
 
O Coaf afirma, também, que Flávio pagou um título bancário da Caixa no valor de mais R$ 1 milhão. O órgão não conseguiu identificar o favorecido.  
 
Segundo informações do Estado de S.Paulo, as áreas de fiscalização e inteligência da Receita Federal vão trabalhar juntas fazendo um pente-fino e relacionando a origem de movimentações suspeitas de 27 deputados estaduais e 75 servidores da Alerj. Entre os alvos estão Flávio Bolsonaro e Fabrício Queiroz. E um dos pontos apurados, será o repasse para a conta de Michelle. 
 
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora