Na domiciliar de Adriana Ancelmo, juiz diz que mãe precisa cuidar dos filhos

Sérgio Cabral e Adriana Ancelmo
Foto: Bruno Itan – Governo do Rio de Janeiro
 
Jornal GGN – Após conceder a prisão domiciliar à ex-primeira dama do Rio de Janeiro, Adriana Ancelmo, o juiz federal Marcelo Bretas afirmou que espera que a medida sirva de “exemplo” a outros casos, para que mães possam cuidar dos filhos. 
 
Presa preventivamente desde dezembro do último ano em Bangu 8, a esposa do ex-governador Sérgio Cabral (PMDB) é investigada no esquema de propinas do governo do Rio, em desdobramentos da Operação Calicute.
 
No despacho em que autorizou a domiciliar a Adriana, reiterando os argumentos de outra decisão do dia 17 de março, o juiz da 7ª Vara Federal Criminal do Rio disse: “Espero que a decisão possa servir de exemplo a ser aplicado a muitas outras acusadas grávidas ou mãe de crianças que delas dependem e que respondem, encarceradas, a ações penais em todo território nacional”.
 
Á ex-primeira-dama, que agora cuidará de seus filhos de 11 e 14 anos, deverá ficar afastada da direção das empresas envolvidas nas investigações da Calicute, não ter acesso a telefones e internet, e receber visitas apenas de parentes até terceiro grau e advogados.
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora