‘Não vou nessa bosta’, diz Sara Winter sobre depoimento na PF

A chefe do grupo 300 do Brasil gravou um vídeo onde esbraveja contra a PF e diz que irá incorrer em crime de desobediência civil ‘porque eu me nego a ir nessa bosta’, e completa com um irado ‘Eu não vou!’.

Jornal GGN – A chefe do grupo paramilitar 300 do Brasil, Sara Winter, escreveu em sua conta de Twitter que foi intimada pela Polícia Federal para prestar esclarecimentos. A musa da extrema-direita escreveu: “A PF acabou de sair da minha casa, entraram ILEGALMENTE, NÃO SE IDENTIFICARAM e vieram deixar uma intimação pra depor daqui a 2 dias, EU NÃO VOU! Vão me prender? Me tratar como bandido? Vão ter q se prestar a isso!”.

A chefe do grupo 300 do Brasil gravou um vídeo onde esbraveja contra a PF e diz que irá incorrer em crime de desobediência civil ‘porque eu me nego a ir nessa bosta’, e completa com um irado ‘Eu não vou!’.

A ex-feminista foi um dos alvos da operação da Polícia Federal determinada pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), que investiga o disparo de fake News e ameaças dirigidas à Corte. Sara, a paramilitar atuante, ameaçou o ministro em um vídeo chamando-o de merda e que gostaria de trocar socos com ele.

A moça mudou-se para Brasília, trabalhou com Damares Alves, no Ministério, e se afastou para liderar o movimento paramilitar 300 do Brasil. O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios já se pronunciou contra o que chamou de ‘milícia armada’ e recomendou ao Governo do Distrito Federal a proibição de o grupo continuar se reunindo no local.

O grupo permanece no local e Sara Winter continua fazendo seu show.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora