Painel internacional

Reunião China-EUA ocorre no final de julho

Os altos líderes chineses e norte-americanos concordaram em se reunir no final de julho em Washington, para o primeiro “diálogo estratégico e econômico” com a administração Obama. As novas discussões de alto nível, estabelecidas para 27 e 28 de julho, são uma extensão das conversações econômicas iniciadas debaixo da administração anterior, de George W. Bush, mas com um enfoque mais amplo. O diálogo “vai focalizar o enfrentamento dos desafios e oportunidades que os dois países enfrentam, em uma ampla gama de acordos bilaterais, regionais e globais de imediato e áreas estratégicas de longo prazo e interesses econômicos”, de acordo com uma declaração conjunta entre os departamentos do Tesouro dos EUA e de Estado na segunda-feira.

Clique aqui


Reservas da China superam US$ 2 trilhões

As reservas cambiais da China inflaram em ritmo recorde no segundo trimestre, para o topo de US$ 2 trilhões pela primeira vez, apesar de as exportações do país permanecerem sob pressão durante o período, devido à fraca procura global. As reservas cambiais do continente, já as maiores do mundo, incharam para US$ 2,13 trilhões no final de junho, como um registro de US$ 178 bilhões acrescentados à reserva durante o período de abril a junho, disse o Banco Popular da China na quarta-feira. “Com um fraco excedente comercial, a receita de exportação claramente não está conduzindo ao crescimento da reserva. A maioria dos ganhos parece ter chegado a partir da mudança de valorização devido à depreciação do dólar, o que estimulou o valor das posições da China fora do dólar”, escreveu o economista associado da Moody’s Economy.com Alaistair Chan em nota.

Clique aqui


Banco da Espanha reduz taxas

O Banco da Espanha decidiu baixar a pressão sobre os bancos e instituições, ante a dureza da crise e más perspectivas. Em uma carta enviada na segunda-feira aos empregadores do setor, o organismo dirigido por Miguel Angel Fernandez Ordonez anunciou novas regras para as provisões bancárias, que serão 50% inferiores à média atual, para o caso das hipotecas boas. Não foi tudo o que a indústria pediu durante meses (principalmente as caixas de depósito), mas representa um afrouxamento da corda que estava começando a asfixiar muitas entidades. Em contrapartida, em um gesto salomônico típico do fiscal espanhol, foi decidido aumentar os critérios para inadimplência do crédito ao consumidor. Ou seja, o Banco de Espanha considera que a inadimplência pode crescer nos empréstimos para móveis, eletrodomésticos, viagens e automóveis, e pediu mais reforços às entidades que operam em negócios mais arriscados, porque as garantias se depreciam rapidamente.

Clique aqui


Austrália endurece discurso contra China

Financial Times

O primeiro-ministro da Austrália, Kevin Rudd, endureceu na quarta-feira a sua posição sobre a detenção de um empregado australiano da mineradora Rio Tinto na China, advertindo Pequim que o caso esta sendo observado pelo resto do mundo. O chefe de marketing de minério de ferro da Rio, Stern Hu, na China, tem sido mantido sob custódia pelo governo chinês desde 5 de julho, juntamente com um trabalhadores chineses da Rio por alegada espionagem e roubo de segredos de Estado.

Clique aqui


Sinais indefinidos na economia da Eurozona

The Wall Street Journal

A produção industrial nos 16 países que usam o euro subiu em maio pela primeira vez desde agosto, indicando que o pior da crise já passou. No entanto, os analistas financeiros alemães ficaram mais sombrios em suas previsões de julho para a maior economia do bloco, um desenvolvimento que sugere que a região enfrenta um caminho lento e incerto para a recuperação. A produção industrial da Zona do Euro subiu 0,5% em maio a partir de abril – a primeira alta em nove meses, de acordo com as estatísticas oficiais da agência da União Europeia Eurostat.

Clique aqui


Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora