PDT questiona no STF venda Embraer para a Boeing

PDT diz que a pretensa 'joint venture' é, na verdade, um 'take over', que lesará os interesses e o patrimônio público, minando as riquezas nacionais.

Jornal GGN – O Partido Democrático Trabalhista (PDT) questiona no Supremo Tribunal Federal (STF) a venda da Embraer. Segundo a legenda, ‘a União, ao permitir a venda da Embraer’, não utilizou seu poder de veto autorizado por ações de classe especial, que dão ao Estado o direito de impedir decisões estratégicas referentes a companhias privatizadas’.

Este foi o argumento do PDT em ação para questionar no STF a transferência da Embraer para a Boeing, empresa norte-americana. A relatoria da ação ficou com o ministro Luís Roberto Barroso.

O partido defende que a negociação visa fragmentar a parte lucrativa da Embraer e transferi-la para a nova companhia a ser criada. E esse molde desenhado, na visão do PDT, ‘revela um prospecto de consequências nefastas à soberania nacional, bem como aos interesses sensíveis do Brasil e à economia’. Continua dizendo que a pretensa ‘joint venture’ é, na verdade, um ‘take over’, que lesará os interesses e o patrimônio público, minando as riquezas nacionais.

‘A extrema urgência e o perigo de lesão restam consubstanciados, na espécie, na iminência do deslinde das negociações que gerarão inegáveis riscos ao interesse nacional’, disse.

Segundo a legenda, a negociação ameaça a existência do setor de defesa da Embraer, já que o setor de aviação militar e de desenvolvimento tecnológico depende dos recursos gerados pelo setor de aviação comercial.

O PDT pede, então, ao Supremo, que suspenda liminarmente todo e qualquer ato de negociação de venda da Embraer com a Boeing, devido ao seu alto grau de lesividade aos preceitos fundamentos indicados, até o julgamento final da ADPF 627.

Com informações do ConJur

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

2 comentários

  1. Deveria ser questionada, assim como alcantara, que foram em cima de acordos fraudulentos……e me espanta a oposição não entrartaté agora no stf contra a destruição da previdencia, que foi baseada em cima de contas forjadas……por mais que digam o contrário, também desejam essa trolha contra o trabalhador, não á toa, um certo senador do PT, que adora fazer sessões inuteis, em vez de tomar essa atitude, prefere apresentar emendas que sabe, não serão aceitas…….

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome