Para mídia, fim da força-tarefa da PF em Curitiba “prejudica” ações contra Lula

Jornal GGN – A Polícia Federal confirmou, nesta quinta (6), que encerrou o grupo exclusivo que atuava em Curitiba por conta da Operação Lava Jato. Em nota, a direção da PF admitiu que os grupos de trabalho dedicados à Lava Jato e à Carne Fraca serão dissolvidos e passarão a integrar a Delegacia de Combate à Corrupção e Desvio de Verbas Públicas (Delecor).

A informação foi disseminada na imprensa após a revista Época antecipar o fim do GT e afirmar que procuradores de Curitiba avaliaram a medida como uma tentativa de “asfixiar” as investigações.

“Não há dúvida entre os investigadores de que a produção de provas em processos altamente relevantes – como os dos ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff, entre dezenas de outros – será severamente prejudicada. O mesmo vale para novas frentes de investigação sigilosas, envolvendo, entre outros, operadores e políticos do PMDB e do PSDB. Diante da escassez de recursos e pessoal, novas fases da operação podem nem sequer ser deflagradas, de acordo com procuradores da República e uma fonte no GT da polícia. ‘É uma asfixia’, diz um dos investigadores”, disse o portal da Revista.

Abaixo, a nota completa da PF:

1.   Tendo em vista que cada delegado do Grupo de Trabalho da Lava Jato possuía cerca de vinte inquéritos cada um, essa equipe, juntamente com o Grupo de Trabalho da Operação Carne Fraca, passou a integrar a Delegacia de Combate à Corrupção e Desvio de Verbas Públicas (DELECOR);

2.   A medida visa priorizar ainda mais as investigações de maior potencial de dano ao erário, uma vez que permite o aumento do efetivo especializado no combate à corrupção e lavagem de dinheiro e facilita o intercâmbio de informações;

3.   Com a nova sistemática de trabalho, nenhum dos delegados atuantes na Lava Jato terá aumento de carga de trabalho, mas, ao contrário, ela será reduzida em função da incorporação de novas autoridades policiais;

4.   O número de policiais dedicados a essas investigações chega a 70;

5.   A iniciativa da integração coube ao Delegado Regional de Combate ao Crime Organizado do Paraná, delegado Igor Romário de Paula, coordenador da Operação Lava Jato no estado, e foi corroborada pelo Superintendente Regional, delegado Rosalvo Franco;

6.   O modelo é o mesmo adotado nas demais superintendências da PF com resultados altamente satisfatórios, como são exemplos as operações oriundas da Lava Jato deflagradas pelas unidades do Rio de Janeiro, Distrito Federal e São Paulo, entre outros;

7.   Também foi firmado o apoio de policiais da Superintendência do Espírito Santo, incluindo os delegados Márcio Anselmo e Luciano Flores, ex-integrantes da Operação Lava Jato;

8.   O atual efetivo na Superintendência Regional no Paraná está adequado à demanda e será reforçado em caso de necessidade;

9.   Conforme nota divulgada no dia 21/05/2017, deve-se ressaltar que as investigações decorrentes da Operação Lava Jato não se concentram somente em Curitiba, mas compreendem o Distrito Federal e outros dezesseis estados;

10.  Desde o início, a Polícia Federal, de forma republicana e sem partidarismos, trabalha arduamente para o êxito das investigações, garantindo toda a estrutura e logística necessária para o esclarecimento dos crimes investigados.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

18 comentários

  1. Qua qua qua quá

    “Desde o início, a Polícia Federal, de forma republicana e sem partidarismos”

    Isso mesmo, sem nenhum partidarismo! Embora o “sonho de consumo”  do G.T. agora estivesse “perto?” de ser atingido, conforme dizem: provas  “como os dos ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff” será ” será severamente prejudicada”.

    ….Empregados públicos partidários, regiamente pagos para procurar pelo em ovo!

     

  2. nossa mídia é muito bandida mesmo…

    diz que é seu dever informar, mas o faz sempre em sentido oposto

    a privacidade que ela está protegendo é a do Temer

  3. São inúmeras as

    São inúmeras as responsabilidades da Polícia Federal. Para o Brasil de hoje, seu foco não deveria ser o combate a “corrupsaum”, mas algo bem menos glamoroso que é enfrentar o crime organizado nas duas mais diversas faces, a começar pelo narcotráfico. Este a matriz e o vetor de, no mínimo, 80% dos assassinatos e outros tipos penais que abastecem os indicadores da criminalidade inaudita que assola o país. 

    Queria muito saber o que ainda resta investigar e analisar sobre Lula e Dilma. Só se for algo com relação à eventuais vidas passadas de ambos porque nessas já foram até o avesso do avesso do avesso.

  4. Produção de provas contra Lula?

    Mas não é a própria força-tarefa que diz que não há provas contra Lula, pois este as mandou destruir e por não haver provas ele é culpado?

  5. Cara de palhaço

    “Desde o início, a Polícia Federal, de forma republicana e sem partidarismos…”

    Eh eh eh… mais uma piada e de mau gosto, mas isso não vem ao caso.

    A foto da dama que servia de “alvo”, (ops), não era  da  Presidenta Dilma.

    O que vem ao caso é que um tal de minerim, que apesar de varios delatores citarem o seu nome, nunca sequer jamais foi incomodado e muito menos acordado as seis ada manhã com chutes na sua porta.

    Isso é que é trabalhar “sem partidarismos”.

    “Cara de palhaço
    Pinta de palhaço
    Roupa de palhaço…”(Haroldo Barbosa)

    Foi o que tentaram aranjar… pr’os brasileiros.

  6. exatamente…

    é por isso que os cabeças dessa área, com a participação  da mídia, encomendam a fabricação de pessoas para serem vistas como culpadas de tudo e que por isso não merecem o respeito de ninguém nem a garantia dos seus direitos

    um dos pontos fortes do narcotráfico vem do uso indevido da informação privilegiada e da que é distorcida livremente

    o mesmo que os bicheiros faziam

  7. Se pensar bem também essa

    Se pensar bem também essa força-tarefa da lava jato só serviu pra fotografar pedalinho, investigar nota fiscal de canoa de alumínio, posar com o japonês (que depois foi preso e exonerado, e despreso e dexonerado) prendendo gente do PT , ‘Operação Afeganistão’ no prédio, cercanias e apartamento do Lula no dia que gastaram uma nota com jatinho pra levar o Lula pra Curitiba e melou tudo, sair caçando o nome do Lula em off-shore que no fim era dos Marinhos e expondo os meninos do seu Roberto daquele jeito, aquele tríplex no meio da Mata Atlântica com praia privativa e heliponto – ops, tríplex errado, foi maus. E produziram material para um powepoint patético que envergonhou até a tia do café do Ministério Público. De resto, um ou outro desses P’s, partidos que a gente só ouve falar em época de esbórnia fedorenta. 
    Eu já comentei aqui outro dia quanto será que custou esses jatinhos, essas auditorias de auditoras internacionais, essas pericias todas, enfim, qual será o preço do circo cujo espetáculo final está por uns dias. Vou nem falar do custo-Brasil disso.

    E depois eles não vão querer esses delegados aecistas declarados fuxicando em pedalinhos do Gedel e outros que estão por vir.

    E ainda por cima estão desprestigiados. O SFT está puxando um monte de processos para a Corte, que ainda trola com a lei menos que aquele TRF.

    Eu sinceramente estou procurando um motivo pra me injuriar com isso.
    Será que ninguém ouviu a gravação do Jucá lá de março do ano passado? Vulgo Caju nas listas peçonhentas?

     

  8. Para a mídia, o fim da LJ blá-blá-blá…
    Sinceramente?

    Lava Jato é parte essencial e inseparável do Golpe de Estado. Seus operadores são responsáveis diretos pela maior recessão econômica que se viu no país noa últimos 100 anos.

    Quero que procuradores e delegados se lasquem. Sérgio Moro, não. Esse eu quero ver julgado num cubo de vidro, por alta traição ao país, como o foi aquele seu colega europeu que H. Arendt tão bem relatou.

    • Apoiado! Apenas um adendo

      Apoiado! Apenas um adendo importante: outros cubos de vidro para Dallagnol, Mendes e associados (J. Barbosa por exemplo) e FHC. O resto uma boa temporada em algum presidio do Para, sem direito a roupas de baixo… ja me deixaria minimamente satisfeita.

       

       

  9. Ladainha

    “Não há dúvida entre os investigadores de que a produção de provas em processos altamente relevantes – como os dos ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff, entre dezenas de outros – será severamente prejudicada…

    A mídia, ah, a mídia…..

    A rede esgoto é o nosso câncer putrefato.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome