PF investiga empresas subcontratadas por gráficas da campanha de Dilma e Temer

Jornal GGN – A Polícia Federal realiza nesta terça (27) uma operação para “verificar a capacidade de empresas subcontratas por gráficas que receberam valores” da campanha de Dilma Rousseff (PT) e Michel Temer (PMDB) em 2014. Segundo informações do Estadão, a ação foi autorizada pelo ministro Herman Benjamin, relator do processo de cassação da chapa no Tribunal Superior Eleitoral. 

As empresas na mira da PF teria sido subcontratadas pelas gráficas Red Seg Gráfica, Focal e Gráfica VTPB, todas com sede em São Paulo.

O jornal publicou, na semana passada, reportagem informando que uma força-tarefa da Polícia Federal, Receita e Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras), criada por determinação do TSE para analisar as contas da campanha da chama que derrotou Aécio Neves (PSDB), encaminhou um laudo a Herman Benjamin sinalizando indícios de “desvio de finalidade” dos recursos.

“O próprio Ministério Público Eleitoral também analisou o relatório e apontou a existência de indícios de ‘fortes traços de fraude e desvio de recursos’ da campanha. Diante do documento, o ministro Herman Benjamin deu na sexta-feira, 16, o prazo de cinco dias para as partes envolvidas na ação de manifestarem”, diz o jornal.

A Focal é a segunda maior credora da campanha do PT. Ela recebeu cerca de R$ 24 milhões de reais, ficando atrás apenas da empresa do marqueteiro João Santana, que ganhou o total de R$ 70 milhões. Ambos são alvos da Lava Jato. 

No caso da Focal, peritos do TSE avaliam que a empresa teria recebido R$ 3,2 milhões de forma irregular e pode ter sido usada para desvios de recursos eleitorais.

A PF não vai se manifestar sobre a operação de hoje.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora