PF vasculha casa de governador do TO e gabinete de esposa na Câmara

Foto: Marcelo Miranda/Facebook

Jornal GGN – A Polícia Federal deflagrou nesta quarta (13) a sexta fase da Operação Ápia, que apura um suposto esquema d fraude em licitações e contratações públicas que teria desviado cerca de R$ 850 milhões no Tocantins. Segundo informações da corporação, foram alvos de busca e apreensão a casa do governador Marcelo Miranda (PMDB) e os gabinetes de Carlos Gaguim (Podemos) e de Dulce Miranda (PMDB), ambos deputados federais. Dulce e Marcelo são casados.

A operação tem como base um acordo de delação que foi homologado pelo Supremo Tribunal Federal. A Procuradoria Geral da República acredita que houve crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro decorrentes de pagamentos de propinas ao núcleo político, realizados pela empresa Construtora Rio Tocantins, do delator Rossine Ayres Guimarães.
 
A OPERAÇÃO
 
A Operação Ápia nasceu em outubro de 2016 por ação da Superintendência Regional da Polícia Federal em Tocantins. O objetivo era desarticular uma organização criminosa que atuou no Estado, comprando servidores, agentes políticos, e fraudando licitações e contratos para obras de terraplanagem e pavimentação em várias rodovias estaduais. Os valores envolvidos superam os R$ 850 milhões.
 
Segundo o Estadão, “as obras foram custeadas por recursos públicos adquiridos pelo Estado de Tocantins, por meio de empréstimos bancários internacionais e com recursos do BNDES, tendo o Banco do Brasil como agente intermediário dos financiamentos no valor total de R$ 1.203.367.668,70.”
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora