PGR entrega acusação de corrupção e obstrução de Justiça contra Aécio

aecio_valter_campanato_abr.jpg
 
Foto: Valter Campanato/Agência Brasil
 
Jornal GGN – Rodrigo Janot, procurador-geral da República, ofereceu denúncia contra o senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG) no Supremo Tribunal Federal (STF), acusando o tucano de corrupção passiva por obstrução de Justiça. 
 
A acusação é baseada na delação dos empresários da JBS e também foram denunciados Andrea Neves, irmã de Aécio, Frederico Pacheco, primo do senador, e o advogado Mendherson Souza Lima. Os três são acusados de corrupção passiva e foram presos no dia 18 de maio, na Operação Patmos. 

No documento entregue ao STF, Janot aponta o suposto recebimento de R$ 2 milhões em propina da JBS e também diz que Aécio tentou impedir as investigações da Lava Jato. Além disso, o PGR pede a abertura de um novo inquérito para apurar o crime de lavagem de dinheiro. 
 
O senador afastado responde a outros sete inquéritos na Suprema Corte. Cinco deles estão relacionados à delação da Odebrecht e outros dois sobre o esquema em Furnas e da intervenção durante a CPI dos Correios, em 2005. Entretanto, esta é a primeira denúncia oferecida contra Aécio. 
 
Agora, Marco Aurélio Mello, ministro que relata o caso, deve levar o pedido para análise na Primeira Turma do STF. Caso o pedido seja aceito, o senador se torna réu e irá responde a uma ação penal no Supremo. 
 
Entre as provas que sustentam a acusação está a gravação na qual Aécio solicita R$ 2 milhões para Joesley Batista. Andrea Neves teria feito o contato inicial com o empresário e seu primo foi indicado para receber o dinheiro, que foi entregue por Ricardo Saud, diretor de Relações Institucionais da JBS.
 
Os advogados do tucano disseram que receberam “com surpresa” a notícia sobre a denúncia no STF, afirmando também que “diversas diligências de fundamental importância não foram realizadas, como a oitiva do Senador e a perícia nas gravações”. 
 
Já o advogado de Andrea Neves nega a negociação de propina e diz que ela apenas ofereceu um apartamento da família para Joesley, que não se interessou pela compra do imóvel. A defesa diz que o oferecimento da denúncia da PGR dará chance de Andrea provar sua inocência. 
 
Leia o documento entregue pela PGR aqui.
 
Assine
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora