Preso na Rússia o suspeito do ataque à sede do Porta dos Fundos

O atentado ao Porta dos Fundos aconteceu após um programa de Natal, onde o grupo satirizava temas católicos. O ataque, feito com coquetéis molotov, foi assumido por um grupo ‘integralista’ do Rio.

Jornal GGN – Eduardo Fauzi, investigado no caso do atentado contra a sede da produtora do canal Porta dos Fundos, no Rio, foi preso em Moscou, na Rússia. O atentado ocorreu em dezembro de 2019 e as informações da prisão foram divulgadas pela TV Globo.

A Interpol já tinha Fauzi em sua lista de procurados e a extradição dele para o Brasil foi solicitada.

O atentado ao Porta dos Fundos aconteceu após um programa de Natal, onde o grupo satirizava temas católicos. O ataque, feito com coquetéis molotov, foi assumido por um grupo ‘integralista’ do Rio.

A Polícia Civil investiga o foragido Fauzi por tentativa de homicídio e explosão. O mandado de prisão temporária foi expedido em 30 de dezembro pela 3ª Vara Criminal do Rio, não tendo sido cumprido pois Fauzi fugiu para a Rússia.

A defesa de Fauzi alega que ele não foi preso na Rússia, mas sim apreendido por autoridades russas para verificação de sua situação no país.

“Não há confirmação sobre o procedimento de extradição pela autoridades brasileira. Por fim, ressaltamos que há pendente a análise de pedido de Habeas Corpus criminal, visando assegurar a integral liberdade de Eduardo, junto ao Superior Tribunal de Justiça, em Brasília. Por outro lado, a defesa lamenta a morosidade na conclusão das investigações, não se sustentando o decreto prisional, por total ausência de provas sobre a justa causa penal”, dizem os advogados na nota.

Fauzi já teve pedidos de Habeas Corpus negados pelo Tribunal de Justiça fluminense e pelo Superior Tribunal de Justiça.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora