Processo contra Favreto é recado para quem ousar decidir em favor de Lula

 
 
Jornal GGN – O Painel da Folha desta segunda (16) indicando que, para “magistrados” do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, a abertura de processos contra Rogério Favreto é uma maneira de intimidar juízes que ousarem decidir em favor de Lula.
 
No dia 8 de julho, Favreto, em plantão no TRF-4, concedeu um alvará de soltura para o ex-presidente, mas sua ordem não chegou a ser cumprido por conta de manobra de Sergio Moro em conluio com uma ala do TRF-4 e da Polícia Federal.
 
O jornal usou o termo “cabra marcado” para se referir a Favreto quando mencionou a hipótese de retaliação com as ações que foram representadas contra ele no Conselho Nacional de Justiça e no Superior Tribunal de Justiça. “Magistrados dizem que, se a investigação prosperar, será criado um clima de que todo juiz que decide a favor de Lula está sujeito a punição.”
 
A coluna também divulgou que a atitude de Favreto também dividiu o TRF-4. Uma ala acredita que “ele tinha competência para decidir o habeas corpus – embora discorde dos argumentos para a libertação.” Já outra parte endossa a tabelinha entre Moro, Thompson Flores (presidente do TRF-4) e João Gebran Neto (relator). 
 
Para soltar Lula, Favreto entendeu como fato novo as ações que a juíza Carolina Lebbos guardava na gaveta e que diziam respeito a pedidos de sabatina e outras agendas típicas de candidato. Favreto entendeu que a prisão na Lava Jato é ilegal pois indevidamente fundamentada e, diante deste fato maior, aplicou o HC a Lula por considerar que a detenção não poderia restringir seus direitos políticos.
 
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora