Sara Winter tem redes sociais desativadas, após vazar dados da criança capixaba

"A conta foi retida no Brasil, e em todo o mundo, em resposta a uma demanda legal", informava redes de Sara Winter

Foto: Reprodução / Twitter

Jornal GGN – Os perfis da ativista de extrema direita Sara Giromini, conhecida como Sara Winter, foram desativados do Twitter e Instagram, na noite desta segunda (23), após ela ter divulgado a identidade da criança de 10 anos, vítima de estupro, que teve o aborto legal autorizado pela Justiça do Espírito Santo.

A exclusão das redes sociais de Sara Winter ocorreu após a própria Justiça do Espírito Santo determinar que o Twitter, Facebook e Youtube retirassem as publicações sobre a criança, em até 24 horas.

O Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) determina, em seu artigo 17, a “inviolabilidade da integridade física, psíquica e moral da criança e do adolescente, abrangendo a preservação da imagem, da identidade, da autonomia, dos valores, idéias e crenças, dos espaços e objetos pessoais”.

Ainda, na mesma noite desta segunda (17), o grupo de hackers Anonymous Brasil publicou uma série de dados pessoais de Sara Winter nas redes, incluindo seu número de cartão de crédito, como represália do vazamento feito por ela no domingo.

No Twitter, a conta da ativista trazia a mensagem: “a conta foi retida no Brasil, e em todo o mundo, em resposta a uma demanda legal”.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora