STF decide manter investigação contra Weintraub no inquérito das Fake News

O Supremo rejeitou o habeas corpus ingressado pelo governo Bolsonaro para tentar proteger o ministro da Educação

Foto: Divulgação PR

Jornal GGN – O Supremo Tribunal Federal (STF) rejeitou o habeas corpus ingressado pelo governo Bolsonaro para tentar proteger o ministro da Educação, Abraham Weintraub, de ser investigado no inquérito das Fake News. Por maioria, a corte decidiu mantê-lo na investigação.

Weintraub é um dos investigados do inquérito deflagrado contra aliados do presidente por disseminação de informações falsas nas redes sociais, com o objetivo de atacar ministros do STF.

Weintraub passou a ser diretamente investigado no caso, após chamar os ministros do Supremo de “vagabundos” e que os colocaria “todos na cadeia”, durante a polêmica reunião ministerial do dia 22 de abril, com o presidente Jair Bolsonaro, cujo vídeo foi divulgado.

Um pedido de Habeas Corpus foi ingressado pelo ministro da Justiça, André Mendonça, para retirar o ministro da Educação do inquérito (leia aqui). O que não foi concedido pelo STF.

Até a noite de ontem, votaram 6 dos 11 ministros da Corte, todos eles pela manutenção da investigação contra Weintraub. Ainda faltam votar os demais 5 ministros – Alexandre de Moraes, Luiz Fux, Luís Roberto Barroso, Marco Aurélio Mello e Ricardo Lewandowski -, entretanto, como já se atingiu a maioria, o resultado já é definitivo.

Nesta segunda (15), Cármen Lúcia, Celso de Mello, Dias Toffoli, Gilmar Mendes e Rosa Weber acompanharam o voto do relator do caso, o ministro Edson Fachin, pelo seguimento da investigação contra Abraham Weintraub.

O ministro da Educação já prestou depoimento à Polícia Federal sobre as declarações dadas durante a reunião do dia 22 de abril. O ministro de Jair Bolsonaro também é apurado em outra investigação por publicação racista contra chineses, no Twitter (entenda o caso aqui).

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

1 comentário

  1. A prudência exige que se recolha imediatamente o passaporte do investigado. Vamos ver até onde ele aguenta as punições que lhes serão contabilizadas, em razão das suas delinquências.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome